Superação

“Quando faltar o sol, dance na chuva”.

Aos poucos a vida vai se arrumando, mostrando a importância de saber que em dias onde o sol não aparece, você pode aproveitar a beleza da chuva.

[…]

Não diga que não é capaz. Todos somos. Vamos!…

Aproveite todas as oportunidades, você precisa ser forte. Aliás, essa é uma exigência diaria. E refugiar -se atrás de uma desculpa não vai lhe fazer a pessoa mais sábia do mundo. ‘ Asilo de lembranças ?’ Nem pensar. Não se sabote desse jeito. A vida é um bem precioso. Viva!

Acredite em você. Lágrimas não valem a pena. Ame-se. Ame-se a ponto de dizer: eu quero mais. Você não imagina como isso faz diferença na vida de uma pessoa.

Abra o coração, a alma as boas coisas que podem aparecer de surpresa.

Quando nos amamos, dançar na chuva é algo tão leve como uma pluma.

Valorize-se.

Imagem via: Facebook

Texto publicado por: VEM comigo!

Santarém, Pá 27 de fevereiro de 2020

Legado

“Quantas lembranças boas guardo na memória do lugar aonde nasci.”

O tempo passou,mas carrego na lembra a cor o cheiro do lugar em que cresci.

Uma porta aberta, uma porta na cor ( laranja), me faz recordar que a casa que morei na época de criança permanece intacta até hoje em minha memória. Era uma casa que representava a cor da felicidade ( casa laranja, que representa o sol nascendo). Alguma dúvida a respeito do que eu estaca falando?

Sol nascendo […]

Alguém já assistiu o dia nascendo? Não é lindo todas aquelas cores em tons alaranjados? Assim era a nossa casa. Não falo no sentido do apelo, mas do encanto. Lá, a felicidade se fazia presente todos os dias.

Casa simples, porém com gosto de felicidade!…

Eu, menina que sempre fui ‘levada da breca ‘, gostava dos dias de chuva, em especial – do barulho da chuva naquela casa de sapê!

[…]

Olhos curiosos, atentos aos movimentos de minha avó.

Suspiro…

Doce infância, cheiro de mato verde

Banhos de chuva…

Pé no chão!

‘ O inverno é quente dentro de mim’, flores em reticências…

Imagem: Pinderest

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 27 de fevereiro de 2020

Oscar Wilde

Oscar Wilde dizia que é difícil encontrar pessoas dispostas a se compadecer de nossas provocações, mas são raras aquelas que se alegram sinceramente com os nossos triunfos “.

O amigo verdadeiro, é aquele se se alegra com a nossa alegria, porque conhece as nossas fraquezas em todos os aspectos. O falso amigo, não. Esses, geralmente são ambiciosos e manipuladores. Olham para você como se fosse um objeto, onde na hora que precisa, pega e usa. Se depois não tiver mais utilidade, joga fora. Para ele só existe um direito – o deles.

Os verdadeiros amigos são raros, e quase nunca lhe pedem nada. Por isso, fique atento porque quando o seu mundo desmoronar, pouco irá lhe sobrar.

Construir boas amizades leva tempo. É como você encontrar um bom livro nos escombros. É preciso sensibilidade para reconhecer uma boa amizade.

Imagem: Ricardo Piglia.

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, 27 de fevereiro de 2020

O tempo coloca tudo no seu devido lugar

O tempo coloca tudo no seu devido lugar. Coloca pessoas e situações, além de mim mesmo (a). O tempo é implacável, assim considera muitos. Particularmente, não sei. ‘Perdi a bondade do tempo, como a esperança‘. Acredito que ele nos ajuda, mas quando há todo um movimento de mudança vindo de nossa parte.

O tempo não confunde caminhos.

O tempo oferece a oportunidade, e conduz-nos a percorrer longas distâncias para lá na frente fazer aflorar aquilo que é inútil nascer agora. Pode parecer ironia, mas definitivamente, não acredito que o tempo possa consertar algo. Compreendo que o tempo tenha as suas prioridades, e ninguém pode fazer por nós, aquilo que depende única e exclusivamente de nossa de nossas ações.

É bonito, é nostálgico até, olhar para vida procurando ‘janelas’, procurando encontrar algum meio de fuga. É inútil, pois todas elas nos levam a nos deparar com os nossos dramas. Como disse o poeta Carlos Drummond de Andrade: ” eita vida besta, meu Deus”. Não adianta pegar caminhos secundários (…)

” Os caminhos por mais convidativos que sejam, há um momento em que se fundem…”.

Considere, há fadiga em todos eles. Você pode até pronunciar com os seus lábios sutilmente que ” não há pedras no caminho que escolheste “, pois te digo, ‘ há uma pedreira a sua frente, feche os olhos o quanto quiser, mas ela não se moverá até que você faça o que é necessário para tirá-lá daquele lugar.

Todos nós, passamos por adversidades, todos que têm uma consciência precária, avança ao despreparo. Portanto, não jogue ao tempo a responsabilidade que cabe somente a você.

Ao longo detoda nossa vida, somos compostos dessas fragmentações marcadas por erros e acertos. Portanto, nenhuma tentativa será bem sucedida [se] você pegar atalhos. Vá devagar.

” Todas as possibilidades se abrem a medida em que, você caminha”.

Nunca esqueça que aquilo que vem obstruir o seu caminho, também vem para lhe ensinar alguma coisa. A vida é assim, feita de pequenos detalhes e é neles que tudo acontece. Desde, o temporal a calmaria. Ingênuo é pensar com olhos passivos

[…]

Nenhum ser isolado chega a lugar algum. É inútil resistir. Caminhe devagarinho, mas vá de encontro ao que precisa ser resolvido com o tempo. A paz só chega depois que tiramos lições dos fracassos.

Imagem pública

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira.

Santarém, Pá 27 de fevereiro de 2020

Carlos Drummond de Andrade

Amar o perdido

deixa confundido

este coração.

Nada pode o olvido

contra o som sentido

apelo do Não.

As coisas tangíveis

tornaram-se insensíveis

à palma da mão.

Mas as coisas findas,

muito mais que lindas,

essas ficarão.

Memória ( Carlos Drummond de Andrade)- Literatura Comentada. Ano: 2013.

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 26 de fevereiro de 2020

Amor

Acabei de escrever uma reflexão acerca do amor, onde comparo o amor ao vinho […], É bom ter uma pessoa especial na em nossas vidas, pois cada sensação que sentirmos é uma experiência proveitosa, aonde através delas, podemos tirar algum benefício que nos ajuda a construir o ideal de bom e ruim que temos acerca do amor.

Paixão é avassalador, é algo que nos causa a sensação na maioria das vezes, até de prejuízo. O amor não, o amor é segurança, calmaria…

É bom tomar bastante cuidado ao fazer uso desses termos, porque ao nos relacionar com alguém, a impressão que se tem é que no mundo, não há barreiras capaz de controlar a forma desse ou daquele sentimento que se sente. Já o amor é uma coisa maravilhosa, não estou dizendo que não tenha lá os seus problemas, tem. Mas, O amor ele é uma coisa mais calma, é sempre seguido por uma sensação de conforto, segurança, cuidado.

Quando você está apaixonado ou apaixonada, perde o juízo, não perde? Perde, inclusive faz umas coisas meio sem explicação. A paixão, ela tem esse poder de nos causar transtornos, seja lá em que intensidade for, mas é furacão.

” A paixão consume o ser humano “.

Ela nos modifica, arremessa a uma distância terrível, a gente acaba se perdendo de si, muitas vezes. É por isso que, devemos tomar cuidado quando estamos apaixonados. E o amor? O amor já é a subversão de um sentimento mais suave, calmo no sentido da palavra. É um sentimento que acolhe, que oferece carinho e proteção.

Quem ama cuida…

Quem ama cuida e oferece abrigo. Tem paciência, não desistecom facilidade. Pode notar, casais que se amam, eles têm um vínculo muito forte.

[…]

Como diz o poeta Carlos Drummond de Andrade: ‘ o amor não engana ‘, sempre nos deixa ‘confortável.’.

O amor começa no abandono de coisas ou situações supérfluas e vai além do que se possa imaginar. Além de aparência. Amor é essência.

A principal diferença entre esses dois sentimentos é essa, um chega de um é temporal, já o amor se alcança no último grau de maturidade, amor é calmaria, só ele tem a graça de nos trazer a serenidade a qual precisamos.

Seja lá qual for a fase que você está vivendo essas descobertas, e ela nos permite viver essa sensação inúmeras vezes, que você saiba desfrutar dos deleites da vida com generosidade.

Imagem pública

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 26 de fevereiro de 2020

Amor é como vinho

Amor é como vinho, alguns convidativos, onde logo de cara, você se sente atraído, abre uma garrafa e começa degustar muito bem devagar […]

A suavidade tem que ser divinal.

Dizem que os melhores são os mais velhos. Assim como o amor. Só após passar por um processo contínuo de exigências é que ele revela o melhor de si. Agora, veja bem, tem os doces e aqueles que ao passar muito do tempo, acabam virando vinagre, não é? Você tolera uma relação construída no vinagre? Não. Na verdade, ninguém tolera, mas muitos costumam aturar.

[…]

A maturidade do amor começa com o romper da casca, da uva? Não, da sua casca. Essa casca reveste muitos de nós. A casca da vaidade, sabe gente que costuma fazer um barulho enorme por fora, que até com a gente se apaixonar pelo que vemos por fora e por dentro revela um sabor que não agrada!? Sim, tem muitos. Por dentro são completamente ‘ocos’. E por mais que o tempo passe, tem uma característica conservam sempre as mesmas características. Não nos pode ser saudável.

Os vinhos de modo geral, são apaixonantes, qualquer pessoa na vida, já tomou um vinho para saber do seu gosto, por mais barato que seja o seu valor, ou até os mais caros do mundo. Claro, há vinhos para todos os bolsos, há gosto extremamente requintados. Assim como, os mais simples, porém com uma certa agradabilidade seduzem qualquer pessoa. Muita gente não olha a marca, a maioria expressa somente a vontade tomá-los.

Os vinhos despertam paixões por inúmeros motivos, é aquela coisa ‘ eu te quero, eu te busco, rsrs…

Há uma buscar rara em cada situação e é claro – cada qual com a sua particularidade. E no amor (também), acontece a mesma coisa, ou seja, ele sobrevive por conta de sua particularidade. É normal se jogar um amor fora, já o vinho, nunca. Que generosidade inexplicável, não? Servidão de afeto a uma bebida. E quanto ao amor, será que somos seres humanos tão solitários que um bom vinho acalme as nossas emoções? No amor também é possível se encontrar essas explicações.

” Dai-me o amor que te deixo conhecer o até então…desconhecido.”

Independente de qualquer explicação que tente trazer alguma razão a essa forma de explicar situações simples, porém com valores e medidas diferentes, é possível associar uma coisa com a outra, para esvaziar as suas origens, bem como, encontrar argumentos plausíveis as suas necessidades.

O importante é ressaltar que o amor só pode ser construído quando se busca serenidade. O vinho é bom na medida certa, com o amor. Ele sozinho é para quem desaprendeu ou já não sabe mais o sabor que é amar.

Imagem via : Facebook

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira.

Santarém, Pá 26 de fevereiro de 2020

Não dependa de ninguém para ser feliz

Felicidade é próprio de cada um. É um sentimento construído no íntimo, ali nas profundezas de nossa compreensão, no limite do conhecimento de cada ser humano.

” Todos nós, nascemos destinados a sermos felizes…”.

[…]

Conhecer o mundo que nos cerca é importante para sabermos distinguir com destreza, os requisitos necessários para compor aquilo que chamamos de felicidade. Por isso, é importante que você se conheça bem para não depender do aval de ninguém quando pensar em ser feliz. Claro, existem pessoas que são importantes nesse processo de construção que transcende as nossas limitações, ganhos , perdas e tudo mais. Agora, quer um conselho? definitivamente, não alimente esse pensamento que te joga nos braços de alguém, e pior, que essa pessoa tenha a obrigação de te fazer feliz.

Depender de alguém para ser feliz é o pior tipo de barganha que existe.

Não crie esse espírito bobo de esperar que a sua felicidade vai começar quando aparecer alguém lindo e especial na sua vida, é que você só será completa a partir disso. Se fixar os seus pensamentos nisso, digo viver sob essa ótica, nuca será feliz.

Não espere, melhor, não queira, não aplique um olhar de piedade. A carência, sim. A carência muitas vezes, ela nos leva a percorrer caminhos sem sentidos. Todavia, entenda uma coisa, pessoa que você procura pode até chegar, e muitas vezes chega, basta saber procurar. Agora, não entregue o poder ou mesmo a responsabilidade de que só pertence a você. Aprenda aser feliz sozinha primeiramente. Depois tudo flue naturalmente. Isso serve também ao homem. Encontrar alguém que nos complete, é ótimo. Mas, felicidade é algo conquistado por nós mesmos.

Aprenda a não esperar nada de ninguém.

Confie mais em si. Procure encantar ou mesmo fazer coisas que lhe proporcione algum prazer de modo que, ao encontrar alguém, você possa dividir isso. E outro detalhe, não agrade, não se diminua para caber no mundo de quem quer que seja. O que chega até nós, assim como, o que tem que ficar, é natural…

Não viva no mundo das nuvens…”

Isso é importante: ‘ não viva no mundo das nuvens, e se viver, tenha os dois pezinhos fixados ao chão.

A vida não perdoa.

Você entendeu? A vida não perdoa, não guarda mágoas ou ressentimentos, que faz tudo isso, somos nós. Portanto, independentemente da situação, digo, mesmo quando todas as forças forem contrárias, aguente firme. Viva!

Aprenda a ser feliz sozinho ou acompanhada, mas sem a necessidade de lançar essa obrigação sobre o outro. Procure ali no último grau de maturidade, ser repleta de valores que você não encontra em ninguém, a não ser em você mesma. Isso é fascinante!..

Ame-se.

Imagem via: Facebook

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 26 de fevereiro de 2020