Carlos Drummond de Andrade

” Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastamos muito muito, vamos de mãos dadas. Não serei oContinuar lendo “Carlos Drummond de Andrade”

João Cabral de Melo Neto

” …E não há melhor resposta que o espetáculo da vida: vê- lá desfiar seu fio, que também se chama vida, ver a fábrica que ela mesma, teimosamente, se fábrica, vê-la brotar como há pouco em vida explodida; mesmo quando é assim pequena a explosão, como a de há pouco, franzina; mesmo quando é umaContinuar lendo “João Cabral de Melo Neto”

Cecília Meireles

[…] Chega, porém, do fundo tempo, uma infinita voz de desgosto, e com o asco da decadência, entre o que seríeis e fostes, murmura imensa: ” Os pusilânimes!” “Os pusilanimes!” repete o breve passante do mundo, quando conhece a vossa história! Cecília Meireles. Fala aos pusilânimes Cecília Meireles/ ROMANCEIRO DA INCONFIDÊNCIA. Organização: André Seffrin. 11Continuar lendo “Cecília Meireles”

Carlos Drummond de Andrade

” E cada instante é diferente, e cada homem é diferente, e somos todos iguais. No mesmo ventre o escuro inicial, na mesma terra o silêncio global, mas não seja logo.” Carlos Drummond de Andrade. Os últimos dias Carlos Drummond de Andrade. A Rosa Do Povo. Círculo do Livro. São Paulo, 1945. Marii Freire PereiraContinuar lendo “Carlos Drummond de Andrade”