Mário de Andrade

” Que a arte não seja porém limpar ve4sos de exageros coloridos. Exagero: símbolo sempre novo da vida como do sonho. Por ele vida e sonho se irmanam. E, consciente, não é defeito, mas meio legítimo de expressão. “ Mário de Andrade. Literatura Comentada: Textos Selecionados. São Paulo, 1990 Imagem: Miró- O Carnaval Do Arlequim.Continuar lendo “Mário de Andrade”

Amor às Bibliotecas

A distância dos livros (por conta de situações financeiras), me levaram às bibliotecas. Eu venho de uma família simples, onde poucos tiveram a oportunidade de cursar uma Faculdade. Eu apesar de ter começado os meus estudos tarde, sempre quis recompensar esse “tempo perdido “. Então, me dedicava a leitura nos momentos em que ia pesquisarContinuar lendo “Amor às Bibliotecas”

Literatura

Aos românticos, a literatura os inunda de bons sentimentos. De modo pessoal ou impessoal, os apaixonados pela literatura conseguem expressar o que sentem em diferentes graus. A pessoa usa o lado subjetivo para expressar com suavidade os seus sentimentos, ou pode ser realista. Depende da natureza de cada um. Tem pessoas que conseguem ser extremamenteContinuar lendo “Literatura”

Carlos Drummond de Andrade

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo. Minha mãe ficava sentada cosendo. Meu irmão pequeno dormia. Eu sozinho menino entre mangueiras lia a história de Robinson Crusoé, Comprida história que não acabo mais. No meio- dia branco de luz uma voz que aprendeu a ninar nos longes da senzala_ e nunca se esqueceuContinuar lendo “Carlos Drummond de Andrade”