DIGA NÃO A VIOLÊNCIA

A violência é uma realidade que precisa ser trabalhada diariamente. Apesar de não ser um fenômeno da Modernidade, e esse detalhe pode constatado através das guerras, onde sempre houveram “vencedores e vencidos”, é que, muito se considerar a dor de quem perdeu. A ênfase é dada a quem chorou e sobreviveu aos horrores, a dor,Continuar lendo “DIGA NÃO A VIOLÊNCIA”

Autoconhecimento

“Autoconhecimento” – é a palavra que nos ajuda a traduzir o nosso ‘estar no mundo’. Quando você consegue identificar claro – a ideia dessa alienação que temos sobre nós mesmos na maioria das vezes, digo do que você se submete: riscos, causas impossíveis ( às vezes na cabeça da mulher é ter um amor) paraContinuar lendo “Autoconhecimento”

Quando a cantada não é um elogio, mas um crime

Quantas mulheres não são importunadas na rua por conta de cantadas ofensivas? Muitas. Se a mulher estiver com uma roupa curta e passar num ambiente aonde tenha vários homens, certamente, ela irá sofrer assédio. Os locais públicos são criadouros do nosso velho e conhecido machismo. Ao longos dos séculos, perpetuo-se a idéia de que mulheresContinuar lendo “Quando a cantada não é um elogio, mas um crime”

O que está acontecendo com a humanidade? Com as pessoas que não deixam se enxergar por aquilo que são?

Cada vez mais tenho me perguntado para onde estamos caminhado? A humanidade tem perdido a sua essência que é justamente,mostrar ” humanidade ” em seus atos e ações . A priori, pode parecer complexo o que estou dizendo, mas estamos decrescendo, ficando empobrecidos, instável quanto mostrar quem realmente somos. Estamos havendo diante da era, ondeContinuar lendo “O que está acontecendo com a humanidade? Com as pessoas que não deixam se enxergar por aquilo que são?”

Darcy Ribeiro

” Com base no cunhadismo se estabelecem criatórios de gente mestiça nos focos onde náufragos e degredados se assentaram. Primeiro, junto com os índios nas aldeias, quando adotam seus costumes, vivendo como eles, furado os beiços e as orelhas e até participando dos cerimoniais antropofagicos, comendo gente. Então aprenderam a língua e se familiarizaram comContinuar lendo “Darcy Ribeiro”