Simbologia

Borboletas carregam consigo a idéia de transformação, e isso vemos no processo natural delas diante a vida.

Não se deve ajudar uma borboleta vencer a dura tarefa de sair do casulo. Se assim procedermos, poderemos incorrer no erro de machucá-las, ou ainda matar. Apesar da ansiedade que temos em estimular o fenômeno do nascimento ( porque esse é o nosso desejo em conhecê-la), sem nos atentarmos em respeitar esse período, certamente vamos causar danos a ela por ser tão frágil.

Regra da vida . Isso vale como ensinamento ao ser humano. O sacrifício e o esforço é uma proposta que inclui paciência , sabedoria e esperança.

Se diante da adversidade nos faltar prudência, é muito provável que nos causaremos algumas lesões por tentar violar um processo natural da vida. Então, conseguir romper o que nos aprisiona e até sufoca, é ” nascer de dentro pra fora”. Nascer enxendo o pulmão de ar.

As dificuldades nos mostra esse valor.

O tempo serve para nos conhecer.

Eu me conheço.

Conhecendo você, sou capaz de te respeitar.

Se desprezo esse ” romper” torno-me oposição do ser que sou. Por isso que essa trajetória é fundamental para descobrirmos a importância da ‘profundidade’ em nossas vidas, e que revela esse poder de transformação.

A ” leveza”, nós só conhecemos após nos tornarmos dignos de obedecer todas etapas das da vida. Claro, em criar ilusões.

Sorte tive eu por receber o carinho de um ser tão encantador….” leve”🦋

Imagem e texto: Marii Freire

Liberdade

O meu caminho

Se constrói

Sem holofotes

Nas situações

Difíceis que a vida coloca

Diante de mim

No refazer

No reconstruir.

O que mais dói

É a ignorância,

A ferida aberta,

Causada pela indiferença.

Sem tristeza,

Minha alma

Não suporta tristeza

O meu interior é sutil

Alegre e bom.

Sem excessos por favor!…

O que nos transforma é a forma como lidamos com os problemas

A minha paixão é sempre

A minha infinita travessia.

Sem tramas, sem ressentimentos

Viver é duro. Mas no caminhar…

Aparecem sonhos

Sorriso no rosto. O que visto como milagre é nos impulsiona a seguir,

Acreditar que a soma sempre será maior do que os prejuízos.

Marii Freire Pereira.

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,

Depois da Luz se segue a noite escura,

Em continuar tristezas a alegria

Porém, se acaba o Sol, por que nascia?

Se é tão formosa a Luz, por que não dura?

Como a beleza assim se transfigura?

Como o gosto da pena assim se fina?

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,

Na formosura não se dê constância,

E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,

E tem qualquer dos bens por natureza

A firmeza somente na inconstância.

( Gregório de Matos. Poemas escolhidos)

Literatura brasileira.

O Século XVI, foi marcado por grandes contradições, e um nome forte que aparece nessa época é o de Gregório de Matos. Um poeta barroco, tido Como um dos fundadores da poesia lírica e satirica que também denunciou toda forma de opressão daquela época, fazendo duras críticas inclusive, a grupos sociais, governo, etc. E por não ter muito papas na língua também era chamado de ” Boca do Inferno.

Todavia, bem mais do que as contradições , a obra de Gregório era reconhecida por superar as características do próprio barroco.

Não se quebre

Quando a vida te envergar, não se quebre. E se por algum motivo, isso possa vir acontecer, que você seja capaz de se reconstruir.

A vida só é dura para pessoas fortes

Para aqueles que passando pela crise, revelam o melhor de si.

Para os que não pegam atalhos. Mas, que apesar da inconstância permanecem firmes.

Imagem pública

Texto: Marii Freire Pereira.

Somos aquilo que amamos

Somos a essência da essência

Pensamentos despidos,

Poesia pensada

Pôr do sol no final de tarde.

Somos casa que hospeda bons sentimentos,

Saudade que trás lembranças raras […]

O ser humano é essa coisa que ele inventa, e entrega ao outro na busca de ser acolhido, de ser recepcionado num tempo de delicadeza. Quisera um modo de pagar todas as nossas dores de maneira menos dolorida. Quisera muitos de nós [ainda], ter o colo de nossas mães como lugar de maior valor a sermos acolhidos quando precisássemos. Quando os excessos da vida surgem sufocando a nossa alma. Mas, não. As vezes, a nossa alma vive a desventura de conhecer ‘ oceanos áridos ‘, e é nesse momento, no máximo daquilo que a vida nos exige – que rasgar-se o coração ofendido e oferece aquilo que temos de melhor: a essência, a paz que carregamos na alma.

Se valorizo

Se dou amor

[Mais amor eu tenho]

Não adianta aspereza, temos que sair da clausura do nosso ser, e inclinar-se ao novo. Claro, acreditando em nossa força, no traje que vestimos por dentro, e mostrando o que temos de melhor em nós, um coração receptivo.

Precisamos ser fortes,

Precisamos ser mais humanos …

…para alcançar com generosidade a beleza da vida, daquilo que é simples, porém…encanta.

Criação e texto: Marii Freire Pereira

Amor incondicional

Como disse o Gregório de Matos:

Sois Anjo, que me tenta”

Eu prefiro acrescentar um novo final a frase dele:” Sois Anjo que me atenta….e Guarda.”

O Gregório se sentia tentado pelo amor de uma mulher ( D. Ângela). Eu pela literatura, por ela conseguir despertar em mim, como mulher o sentimento cru. Digamos a percepção que poucos têm em adentrar fas contradições da natureza humana.

Convenhamos, a literatura por vezes, acaba nos deixando ofendidos de felizes por diversas razões, dentre ela o despertar da concorrência crítica que a maioria dos seus textos nos revelam.

Imagem pública, porém a frase pertence a minha pessoa. Um ser apaixonado por literatura.

Queixa

Um amor assim delicado

Você pega e despreza

Não devia ter desprezado

ajoelha e não reza

dessa coisa que mete medo

Pela sua grandeza

Não sou o único culpado

Disso eu tenho certeza

Princesa

Surpresa

Você me arrasou.

………………………..

(Caetano Veloso. Warner Chappell Edições Musicais)

A ” Queixa ” de Caetano é também um exemplo de Cantiga de amigo Amigo Medieval, onde revela a postura servil de um homem em relação a mulher ( o ser amado. Ela tem uma certa semelhança com a canção de Chico ( Atrás da porta), porque elas acabam tendo uma sequência que fala de um amor descrito através da canção. É um homem, mas com sentimento feminino.

É incrível isso, rsrs…não tem como não se apaixonar por canções. A narração ali com a presença do trovador. Um ser apaixonado que deseja uma mulher ali no íntimo, mas que tem essa coisa gostosa de nem sempre alcançar. Digamos , que é uma espécie de amor não correspondido.

No fundo, todo esse contexto é criado em cima de uma Vassalagem amorosa.

Ah, desde que comecei a ler, ter intimidade com a Literatura, confesso que sou apaixonada pelo contexto dessa época e toda forma de manifestação do amor que meramente era visto como convencional.

Atrás da porta

Quando olhaste bem nos olhos meus

E teu olhar era de adeus

Juro que não acreditei

Eu te estranhei

Me debruçou sobre o teu corpo é duvidei

E me arrastei é te arranjei é me agarrei nos

teus cabelos

Nos teus pelos

Nos teus pés

Ao pé da cama

Sem carinho, sem coberta

No tapete atrás da porta

…………………………………..

(Chico Buarque e Francis Hime)

As experiências cotidianas que traduziram e traduzem até os dias atuais, o amor. O sofrimento de um por uma mulher como o que aparece na canção de Chico, mas que no caso, é uma cantiga de amigo.

É um sentimento íntimo sendo expressado de modo decadente, as vezes até chegando ao clímax por conta de algo inacessível. É ao mesmo tempo, a situação de um sentimento colocado para fora, talvez, não vivido por por culpa, ou medo, mas externado porque ali havia uma senhora ( uma mulher casada), que era desejada, mas nem sempre esse objeto de desejo era alcançado. Então, as melodias, faziam parte dessa manifestação do amor.

Literatura brasileira/2013

Marii Freire Pereira.