Mãe de menina

Eu não sei vocês, mas ser mãe de menina é uma coisa maravilhosa. Eu sou mãe de duas adolescentes praticamente. A Alice tem 15 anos e Kamila irá fazer 12 em maio deste ano. Hoje, por acaso, estava revirando o baú da memória e vi essa imagem que me chamou atenção e é claro, fez- me lembrar de todo um momento que foi importante, e acaba sendo na vida de uma mulher que éa maternidade. Lembro- me de quando Alice nasceu branca de olhos azuis. Eu sempre desejei ter meninas porque é mais fácil de lidar com elas. Isso sem falar no enxoval de bebê que é um sonho na vida de uma mulher. Eu comprava muitas roupinhas, sapatilhas, bonecas cor der rosa. Já a minha segunda gestação, onde nasceu Kamila, eu mantive algumas propostas, mas inovei em relação aos vestidinhos em tons mais leves. Uma graça esses momentos, não há como dizer que não são enriquecedores para mãe e filha. A maternidade foi uma experiência saudável para mim, tanto que procuro ter uma boa relação com as minhas filhas, começando pelas lembranças.

É importante manter intactas essas lembranças na mente de qualquer mulher- mãe! É uma forma da gente manter acesa essa memória que claro – faz parte de outrora, mas que vez ou outra, a recordação faz você voltar ao tempo e reviver parte desses momentos que são decisivos ( porque são importantes) na vida reprodutiva da mulher. São acontecimentos que marcam a nossa passagem nesse plano terreno, e nos desperta a curiosidade em considerar a importância da vida e seus processos.

Ser mãe

Apesar da maternidade ser algo imposto à mulher, e muitas terem o direito de dizer ” não “, eu creio que você poder desfrutar da companhia de um bebê, é muito bom. Bom principalmente, porque é uma parte sua que você mesma, tem que aprender a lidar com aquele ser pequeninho que chora e mama, troca fralda, mas quando sorrir, você sabe que àquilo é verdadeiro. Eu amo as minhas filhas. Como mãe, procuro ensiná- las a ser pessoa educadas, prestativas e que tem empatia pelos outros. Esse é um dos nossos grandes feitos. O melhor legado que deixamos à elas é o exemplo do que conseguimos produzir de bom. Isso serve para os pais também que desejam ter um filho homem para viver também as suas experiências. Tem muita mãe que é ( pae), ou seja, é pai e mãe ao mesmo tempo, assim como temos muitos pais que também desempenham o papel de mãe. A ordem da situação, pouco importa; o que é importante mesmo, é cuidar da criança dando amor, respeito e carinho que ela precisa.

Eu deixo aqui os votos das melhores recordações às mães. Sei o quanto é importante manter intacta essa lembrança na memória de cada uma delas. À sua maneira, ao seu tempo, modo e forma de ser mãe, não importa. Do enxoval mais simples ao mais nobre, não importa. De fato, não é a roupa, é o amor que você agrega na vida dessa criança que passa ser a razão da sua vida. Bem, pelo menos, uma delas.

Marii Freire

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ littlebaby_ em

Santarém, Pá 18 de janeiro de 2023

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

6 comentários em “Mãe de menina

  1. Marii, o seu texto emocionou-me muito. Também sou mãe de uma menina e a minha mãe foi mãe de 3 meninas (e um menino). Estivemos os 4 unidos no seu funeral este fim de semana. Um dor enorme. 68 anos e uma luta até ao fim. Mas o cancer (o terceiro) venceu. Eu e as minhas irmãs estivemos a ver os álbuns de infância e, de facto, as meninas são especiais.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Filipa, fico feliz por despertar emoções boas em você. Veja que engraçado, ao mesmo que você compartilha dele, fala de lembranças e funeral, dor, despedida de sua mãe. Sinto por você, minha amiga. Receba o meu abraço de conforto. Esse texto tão é muito forte pra mim, mexe com lembranças muito vivas em minha memória. Entre muitas inquietações pessoais, hoje…também se faz paz no meu ser!🙏

      Curtido por 1 pessoa

      1. É assim mesmo que se fala, amiga. A nossa vida passa o tempo todo por esses momentos onde vivemos o melhor e a experiência não boas. E a verdade é que precisamos saber lidar com todas elas. Eu converso com as minhas filhas, falo sobre tudo isso. A gente nunca deseja que um filho sofra, mas quando a fase não boa chegar na vida deles, estes precisam assim como nós, saber trabalhar essas situações. O importante é a gente desde cedo, alicerçar o principal que é o psicológico deles, mostrando como a vida é. Prepará-los é também algo muito importante.

        Curtido por 1 pessoa

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: