Chico Buarque

” Pai, afasta de mim esse cálice

De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga

Tragar a dor, engolir a labuta

Mesmo calada a boca, resta o peito

Silêncio na cidade não se escuta

De que me vale ser filho de Santa

Melhor seria ser filho de outra

Outra realidade menos morta

Tanta mentira, tanta força bruta

Como é difícil acordar calado

Se na calada da noite eu me dano

Quero lançar um grito desumano

Que é uma maneira de ser escutado “

Chico Buarque, Cálice.

https://m.letras.mus.br

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 21 de abril de 2020

Utópico

Contemplando a beleza da vida,

Pude descobrir

Que

As imagens mais sublimes vivem na memória

e não na matéria.

Descobri que o amor

Só é amor

Na medida

Que tem a capacidade de voltar a sua pureza

Que pode percorrer longos caminhos

Passar por inúmeras reprovações

Morar dentro da própria solidão

Sobreviver as guerras

e mesmo assim

Exalar o bálsamo

Que só os anjos respiram.

O amor é como a noite

às vezes, bebe a natureza

outras, é subordinado ao sopro do vento

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: Alter do Chão

Santarém, Pá, 20 de abril de abril 2020

Obstáculos

” O rio atinge os seus objetivos porque aprendeu a contornar os seus obstáculos “

Lao Tsé.

Num breve resumo, que nós sempre saibamos dar atenção a tudo aquilo que realmente tem valor em nossas vidas. Não digo que os obstáculos, não tenham aí, os seus significados. Têm, todos têm. Agora, que sejamos capazes de ter sempre, objetivos maiores. Isso sim, é que de fato, nos faz interpretar a vida de outra maneira.

Todos obstáculos nos fortalece, porque de alguma forma, todos eles nos ensinam. Mas que se possa ter uma vontade maior, a vontade de vencê-los.

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: via Facebook

Santarém, Pá 2020

Amor

“…Que seja eterno enquanto dure”.

Vinicius de Moraes.

Quando se fala de amor, logo vem a mente, idéia de um casal feliz, desfrutando do prazer que é saber viver o privilégio de mesma linguagem, ou seja, viver o amor na sua totalidade.

Não raras, são as experiências amorosas que fazem os casais apaixonados tenha todo um cuidado, toda uma delicadeza para viver os deleites desse sentimento. A mulher sempre com a imagem ingênua, aliada a doçura para fazer valer o encanto, a delicadeza que a idéia do amor nos remete. Remete porque aprende isso na infância, e portanto, vive guardado na mente humana a perfeição desse sentimento.

Em muitos relacionamentos, é sim possível ali de fato, notar uma realidade entre os casais que vive no prumo. Que não tira dali e põe aqui para consertar os ‘atalhos que se toma na relação. São poucos, mas é possível notar o esforço que muitos fazem para que se viver a pureza de um sentimento que vai além da poesia.

Falar de amor sempre é bom, porque no fundo, o que se deseja é encontrar uma pessoa que seja especial. Não diria perfeita, porque perfeita nem mesmo a história divina é, mas que seja uma pessoa carinhosa, e que dentre outras coisas, saiba ouvir, seja uma espécie de de fonte de inspiração, que saiba cativar do jeito certo. Alguém que faça valer aquilo que se aprende além do que se ouve ler nos livros, ou seja, se deseja beber na fonte… do amor.

” O amor só se dá a si e não tira nada, senão de si ” .

Khalil Gibran.

Amar é maravilhoso quando se percebe que esse sentimento é capaz de transformar de dentro “pra fora”. Quando ele desnuda a alma, nos encaixa com perfeição, com carinho e faz com que nos tornemos pessoas melhores.

O amor ele atravessa as pausas que nasce dele próprio. Diria que os dramas, os ecos e tudo aquilo que nos permite reiventá-lo. O amor tem uma linguagem lúdica, e precisa disso para sobreviver a sua própria ” travessia “. O que muita gente não é capaz de entender é que tudo isso, quando não cultivado acaba. A beleza desse sentimento se perde facilmente ao longo do caminho se deixamos de enxergar a riqueza que há nos pequenos detalhes. Se você opta por vulgarizar a percepção acerca do amor, ele toma novos caminhos.

[…]

O amor, ele vai muito além da projeção narrativa. É por isso que vemos tantas fórmulas mágicas que vendem soluções para se ter um relacionamento feliz. E nota-se que a maioria delas, não funciona. E por que? Porque amor é o cuidado de todos os dias. Não é só mulher que cuida, o homem também. Existe a idéia de que só a mulher tem a obrigação de cuidar. Ledo engano! O amor é um sentimento de mão dupla. E muitas vezes, o sucesso de uma relação depende da maneira de como o casal se relaciona. O amor começa ‘devagarinho’. Primeiro ele, tem face pudica, depois ele revela uma linguagem msis envolvente, que permite os parceiros ” brincar” com a lascívia que nasce a partir de pequenas provocações entre o casal.

Todavia, é preciso falar que o amor vai além se sua própria grandeza. Amar não é resultado, mas sempre uma busca verdadeira. Às vezes, diz o que não pode ser dito, outras vive o que não pode ser vivido. Porém, o amor sempre pode ser compreendido além do que dizem as palavras.

Marii Freire Pereira

Imagem: Google

VEM comigo!

Santarém, Pá 20 de abril de 2020

Literatura

A literatura tem essa coisa gostosa de nos abraçar e ao mesmo tempo, facilitar a linguagem seja do amor, da arte, o próprio discurso que se nota que tem uma importância fundamental para o leitor, aliás pra fazer essa integração com o leitor. A literatura, tem um mistério que nos influência, mas influência de modo positivo, porque felicita a questão da linguagem como mencionei antes, com outros ramos da literatura. Você ao adentrar nesse mundo, e logo de cara, fica maravilhado (a). Quer um exemplo? Volta um pouquinho no tempo, veja a questão da literatura portuguesa, as manifestações literárias daquela época, a escrita, a poesia, a intenção argumentativa, a profundidade de como os sentimentos acabam sendo expressados. E hoje, nota-se uma literatura com contrastes completamente diferentes, mas que no fundo, permite aquilo que chamo de essencial, que é o debate com a realidade.

A literatura nos faz pensar e encontrar aquilo que é novo. Na verdade, ela oxigena a alma humana. E por curiosidade, quando você começa a fazer a leitura da poesia, aos poucos, percebe que ela, mexe com a sua sensibilidade. É como se nos arremesse de ‘dentro pra fora’. Então, tanto a poesia, quanto os poemas, que é quando você escreve, eles fazem brotar um jeito novo de enxergamos o mundo. Quando lemos é como se o novo surgisse para nós. É os benefícios da leitura. Eles são provocados através dos sentimos. Na verdade, são percebidos, reconhecidos por essa sensibilidade que a leitura nos proporciona.

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: Google

Santarém, Pá 20 de abril de 2020

Não se Mate

Carlos, sossega, o amor

é isso que você está vendo:

hoje beija, amanhã não beija

depois da manhã é domingo

e segunda-feira ninguém sabe

o que será.

Inútil você resistir

ou mesmo suicidar-se.

Não se mate, oh não se mate,

reserva-se todo para

as bodas que ninguém sabe

quando virão,

se é que virão.

O amor, Carlos, você telúrico,

A noite passou em você,

e os recalques se sublimando,

lá dentro um barulho inefável,

rezas,

vitrolas,

santos que se persignam,

anúncios do melhor sabão,

barulho que ninguém sabe

de quê, praquê.

Entretanto você caminha

melancólico e vertical.

Você é a palmeira, você é o grito

que ninguém ouviu no teatro

e as luzes todas se apagam.

O amor no escuro, não, no claro,

é sempre triste, meu filho, Carlos,

mas não diga nada a ninguém,

ninguém sabe nem saberá.

Carlos Drummond de Andrade, Não se Mate. ( Textos Selecionados, literatura Comentada)

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 20 de abril de 2020

Desistir? Não seja humilde.

É bem verdade que a realidade, vez por outra , tenta nos intimidar. Mas, não deixe que a razão dos últimos acontecimentos possa interferir numa realidade que ainda pode ser modificada, a sua. No lugar da palavra desistência, procure por existência. Existência daquilo que só você pode construir_ fazer acontecer com exatidão.

Nenhuma realidade pode ser modificada, sem o abandono daquilo que foi eventual em nossas vidas. Abandone ou procure deixar de lado, os pensamentos de solidão. Entenda uma coisa. Só devemos ter medo daquilo que não vemos. Mas, o que se consegue mentalizar, ou seja, agregar alguma informação, então esse detalhe serve para que tenhamos a capacidade de nos tornarmos seres mais conscientes.

Eu diria que é até muito comum se ouvir frases como por exemplo, ” minha vida acabou” , ” chega”. É a expressão de quem se desespera. Mas, desespero não é momento de agir. É momento para refletir, para procurar compreender o porquê da vida está sendo restringida ali, digo naquela situação em si. Não é o todo, porque a vida é construída a cada instante. E muitas pessoas entregam os pontos assim, nesses momentos em que a vida pede mais. Quer desistir? Olhe para o que te favorece hoje, agora. Olhe para trás, veja quanto caminho você já foi capaz de percorrer. Entende? Nada pode interferir ou modificar o que você já viveu. São as suas experiências, suas bagagens. Tem muito e isso te atrapalha um pouco? lance mão de algumas. Às vezes, para darmos um passo à frente, é necessário tirarmos o peso que nos puxa para trás.

Deixe de ter compaixão de si, de lamber as próprias feridas. Provoque a sua mente. Vamos, seja ousado ( a). Não olhe os defeitos, substitua- os por vontades. O imaginário humano está repleto disso. O longínquo, você pode alcança, se claro- não afogar os olhos no raso.

Coragem! Pegue as suas fragilidades, a sua insegurança, as incertezas, a estupidez, ou em outros casos, até a sua falta de incoerência, e assuma o risco de ir mais longe.

[…]

Vá! Vá sem medo. Ninguém perde nada por tentar, pelo contrário, se agrega conhecimento.

Diante do caos da vida, se comporte como um ser humano, não como alguém que precisa ter todas as respostas ou oferecer isso a alguém. Todos nós aprendemos. Alguns com mais facilidade, outros através de provas mais duras. Todavia, aprendemos, e para aquilo que [ ainda], não se tem resposta, devemos buscá-la.

Marii Freire Pereira

Imagem: Instagram

Santarém, Pá 19 de abril de abril de 2020

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces

Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto

No então a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz

Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado

Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados

Para que eu possa levar uma gota de orvalho desta terra amaldiçoada

Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado

Eu deixarei…tu irás e encontrarás a tua face em outra face

Teus dedos enlação outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada

Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite e ouvi a tua fala amorosa

Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço

E eu te trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado

Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos

Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir

É todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas

Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Vinicius de Moraes, ausência, Rio de Janeiro, 1935

http://www.viniciusdemoraes.com.br

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 19 de abril de 2020