Amor próprio chega cedo

Não deixe para se amar, quando já não houver amor. Isso mesmo: Não deixe para se amar, quando já não houver amor. O amor próprio, ele é uma urgência. Por isso, chega cedo.

Marii Freire Pereira

Muitas mulheres confundem amor próprio com autocuidado, o que é um erro tremendo. O amor próprio tem uma estreita ligação com o autoconhecimento. Claro, “eu me amo!” Você se ama? É importante alimentar amor por nós mesmos, porque só a partir desse pensamento é que podemos compreender melhor uma série de situações. Eu me amo, e por compreender a extensão desse amor, eu não vou receber qualquer coisa em troca, porque ” qualquer coisa” não tem a capacidadede supriras minhas necessidades íntimas. O que se costuma perceber é que as pessoas querem ser amadas, e muitas até se deixam ser amadas de qualquer forma, de qualquer jeito. Àsvezes, recebendo menos da metade do que elas de fato merecem. Só depois de um bom tempo, é que chega a conta, assim como também, o momento de suas lamurias. Quem nunca ouviu a célebre frase: “eu dei amor demais e recebi de menos”. Certamente, você já ouviu algo parecido.

Quando a gente não se ama, ou não tem o conhecimento prévio, acerca do amor, de fato, ocorre aquilo que se chama ” Quebrar a cara”. Você sente que lhe falta o chão, porque ao invés de amor, você estava envolvida num ” emaranhado de mentiras”. Trincou as bases da relação, a sensação de fracasso aparece, certamente, cooperando para o seu despertar.

” Não colecione uma história de fracassos amorosos para “APRENDER ” a se amar”

Ou para aprender a se quer bem. Ao contrário, se coloque em primeiro lugar na sua vida. Ora, tem pessoas que ficam ” patinando, patinando” em situações que elas sabem que aquilo não as leva a lugar nenhum. Mas ” insistem ” na esperança de que a outra pessoa mude. Então, percebendo que depois dos maus tratos, nada recebeu, ela, finalmente, cria coragem para mudar. Tardiamente, se diz que essa pessoa, começa a se valorizar, detalhe que poderia ter sido observado muito antes de qualquer envolvimento, mas que infelizmente, só se considera o peso do fracasso muito depois de se viver as experiências dolorosas do amor.

A priori, é natural que o encantamento da paixão que uma pessoa tenha pela outra, desfoque a importância das coisas que devem ser observadas no início de uma relação. Claro, é um momento se conhecer, de se descobrir o outubro a outra, de agregar valor. Portanto, não cabe cobrança. Porém, cabe avaliar a qualidade do que se torna valoroso. Quando se ama, se perde um pouco a razão, sem dúvida. Mas, o amor próprio, ele não deve ser colocado de lado. O amor não deve tira a nossa razão de forma alguma. Ao contrário, esse é um detalhe importante que deve ser considerado a todo momento, porque se eu não me amo, vou abrir portas para relações aonde posso encontrar parceiros que podem me oferecer tudo na vida, menos amor. Essa que é a realidade. Às vezes, por não ter autoconhecimento, as pessoas se envolvem com vários parceiros, e se observa que essas pessoas, deixam uma espécie de lixo emocional nelas.

” Pessoas que não se amam, elas se entregam a qualquer coisa que possa lhes soar como amor”

O grande erro humano, persiste nesse detalhe: Se deixar envolver por conta de situações que pouco acrescentam em suas vidas. Ora, quantas mulheres vivem sofrendo por conta de homens que as desprezam? As maltratam? Ignoram? Deixam falando sozinha, deixam elas para ficar com outras? Cadê o amor próprio e a dignidade dessas mulheres? O amor não é um erro. O erro é persitir numa relação com quem não sabe amar. A medida que uma mulher se ama, ela não aceita viver dentro desse tipo de situação; mais ainda, ela não se contenta com o mínimo, quando compreende que pode alcançar o máximo.

Falar acerca de amor próprio é importante, porque a ideia de amor próprio transmite consciente ou inconscientemente essa coisa do cuidado que tenho comigo. E numa relação amorosa não é diferente, muito pelo contrário, se faz necessário para que se consiga ter um norte sobre o que as pessoas podem encontrar nessa busca por parceiros. É impossível amar e não querer receber amor em troca. O amor próprio é também uma forma de despertar ” abrir a mente” para o que é bom e importante pra nós, e aquilo que não agrega nenhum valor. Por exemplo, um dia, eu não posso acordar amando uma pessoa, e passar o tempo todo ouvindo coisas ásperas do tipo: “Eu nunca te quis” ou “Só estou vivendo essa situação porque você me prendeu a ela”. Isso é horrível. Não tem amor nesse tipo de relação. Portanto, não tem o porquê de insistir. Como dizia, Eihei Dogen ( 1200-1253) ” A vida é um sonho dentro de um sonho” ( Aprender a VIVER o agora) Monja Coen. Se você não vive esse sonho dentro de outro, sozinha você não tem condições de sustentar os dois. Então, desperte para a realidade que a vida te convida a conhecer: se ame, se conheça. Procure trabalhar a sua autoestima e descobrir que a vida é sempre uma soma de coisa boas; de outra forma, não vale a pena insistir num erro.

Pense nisso!..

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem & criação: Marii Freire Pereira

Santarém, Pa 17 de novembro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: