Caos

O caos existe na dicotomia dos meus versos,

Na dança leve do estado dos meus sentimentos

Dentro de mim a expressão do desequilíbrio, do lamento lacrimejante.

A enfermidade, e a tristeza

São velhas conhecidas

Olho para o lado há tanta escuridão

Na garganta, um grito desumano

Uma realidade sem sentido

Não sei engolir a náusea

Minhas palavras não me permitem

O sofrido momento

Consome o pudor de minhas palavras

Vivo horas de infinitos pesadelos

Ando com o ódio estremecendo

As entranhas

Há tanto estrago que não pode ser consertado

Não há como modificar a nossa impressão sobre a vida

E seu olhar faminto

quando um grito nos guia no escuro.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. 500px/Nature power/ busca Jasna M/ 500px

Santarém, Pá 9 de janeiro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: