” proteção “, a falsa idéia a respeito do amor

” O espinho que protege é o mesmo que machuca.”

Marii Freire Pereira.

É comum que em todo começo de relação, a mulher acabe fique deslumbrada com a forma de carinho e proteção da pessoa que ama. E em todo começo, tudo é muito bom mesmo, porque é um período onde os dois estão se conhecendo, procurando mostrar o que é melhor de si, o que tem a oferecer, não por conta somente do interesse, por querer mostrar aquela pessoa que ela tem motivos para querer permanecer naquela relação. Não, o intuito maior, é fazer essas coisas para estimular o carinho, a troca de olhares, a permissão para tudo ou quase tudo já o mundo, lhes é regido pelo sentimento, pela emoção. A princípio, todos vivem ansiosos por quer dar o que há de melhor de si mesmo. Todavia, essa troca acaba sendo feito de modo consensual. O amor tem disso, de ser um sentimento posto a mesma – servir! numa linguagem direta.

Nos primeiros dias, meses e anos, tudo ocorre uma maravilha. É como se houvesse uma bússola que acabasse direcionando duas pessoas ao ‘caminho da felicidade’. Só que existe um detalhe que a mulher só vai perceber lá na frente. Isso, depois de muito se ter caminhado. Esse detalhe é chamado de ” controle”, ou seja, o controle do macho sobre a fêmea, que na maioria das vezes, vem revestido de uma falsa generosidade, digamos de uma falsa proteção. É um carinho exagerado, é o fato de abrir a porta do carro, de quer saber com que a mulher conversa. Não digo por exemplo- que ” abrir a porta do carro”, não seja um ato de cavalheirismo. Em certas ocasiões sim, todavia, muitos homens fazem mas com toda uma situação pensando, ou seja, com todo um interesse por trás.

É interessante que dentro de uma relação, a mulher saiba a diferença entre ” controle” e ” proteção “. Aliás, diria que é fundamental para ambos, no o amor, existe o respeito, mas nunca esse plano audacioso de querer reger os passos do outro. Quando você observa um homem muito preocupado com pequenos detalhes, mas que para ele, torna-se algo gigante, é bom ficar atenta, porque tem sempre alguma coisa de estranho. Procurar brigas por motivos fúteis, esteja certa que o problema é dele não seu. Homem com excesso de ciúmes não é um bom sinal, pois isso é fruto da secagem que ele faz com a mulher e ” pensa” que ela anda fazendo o mesmo com ele. É interessante ter um pouquinho de ciúme? É. Mas, não pode ter exageros. Tudo na vida precisa ser ‘ dosado ‘ na medida certa para que haja o equilíbrio necessário para ambas as partes, para assim, o casal desfrutar de uma harmonia gostosa. Nada de ficar prendendo o outro por conta de insegurança.

É importante ressaltar que o estranhamento entre duas pessoas que se ama, é natural. Claro – cada uma tem valores diferentes. Mas o que estou tentando dizer é que que, fique atenta aos confrontos. Saiba diferenciar os motivos que fazem ele agir diferente com você. Não suporta ser contrariado? Tem atitudes agressivas do nada, quer controlar tudo a seu respeito? Pega no seu celular, confere a sua intimidade? Isso ‘não pode, não existe’. Você não casa com uma pessoa e ao mesmo assina um termo dizendo a ele: ‘ você tem plenos poderes sobre mim”. Você não abre mão de quem você é. Evidente que existe um limite que deve ser respeitado. Além disso, o casamento é um negócio, a relação em si, se ela já caminha para esse entendimento, seja uma relação madura ou mesmo algo que você demonstrar ter respeito, que você quer que aquilo der certo, invista. Mas, como dito antes, o casamento para ser saudável depende do acordo feito entre o casal. Quer dizer, não deve existir imposições nem de uma parte nem de outra. Duas pessoas devem sempre somar. Se você notar que a coisa está sendo diferente do que pensou. Relação não é um negócio? A desfaça. Respeite o direito do outro e o seu também! O que não pode é, você ter consciência que aquilo te fere e você continuar insistindo no fracasso.

As pessoas constumam ficar perplexas, quando você insiste no que não tem jeito, do que , quando toma coragem e vai viver a sua vida de maneira saudável. Na verdade, essa é a lógica da coisa. Você precisa saber viver pra você, saber viver uma relação, ser feliz quando encontrar alguém que te ofereça o melhor, e você também tenha condições de fazer o mesmo por alguém que investe em você. Agora, se esses requisitos faltarem, que você tenha a capacidade de viver sozinha, de sonhar sozinha. Os seus sonhos é algo que mexe com os seus desejos, certamente você irá encontrar aquilo que procura. Agora o que tenho a dizer a respeito do amor, é que ele se resume em gratuidade. Ele não aprisiona, não é calabouço, não gera conflitos. Vou inovar: ” amor é sabedoria “, se você é sábio, irá compreendê- los suas razões.

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. Wattpad

Santarém, Pá 21 de Julho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “” proteção “, a falsa idéia a respeito do amor

  1. Pois é… Muitas relações nem devem durar muito, o tempo necessário para verificarmos até onde podemos ir sem percalços… Eles virão, certamente, e aí, como será o nosso comportamento durante a realidade apresentada, é claro que controle é diferente de proteção, nada a ver,e não é difícil diferenciarmos uma coisa de outra…Simples assim.Temos que saber a hora de partir para que não sejamos o espinho que machuca.

    Curtido por 2 pessoas

    1. De fato. Controle não é proteção. É importante sabermos diferenciar uma coisa da outra. Eu acredito que numa relação, vale aquilo que o casal consegue manter em harmonia.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: