Olavo Bilac

” Como era verde este caminho!

Que calmo o céu! que verde o mar!

E,entre festões, de ninho em ninho,

A Primavera a gorjear!..

Inda me exalta, como um vinho,

Está fatal recordação!

Secou a flor, ficou o espinho…

Como me pesa a solidão!

Orfão de amor e carinho,

Órfão da luz do teu olhar,

Verde também, verde – marinho,

Que eu nunca mais hei de olvidar!

Sob a camisa, alva de linho,

Te palpitava o coração…

Ai! coração! peno e definho,

Longe de ti, na solidão!

No teu jardim, que desalinho!

Que falta faz a tua mão!

Como onda é verde este caminho…

Mas como o afeia a solidão!..

Olavo Bilac, In: Poesias.

https://www.citador.pt

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: Pinterest. VortexMag

Santarém, Pá 21 de Julho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: