Pablo Neruda

“Quero quando eu morrer, tuas mãos

em meus olhos:

Quero a luz, quero o trigo de tuas mãos

amadas

Passar uma vez mais sobre mim essa docura:

sentir tua suavidade que mudou o meu destino.

Quero que vivas enquanto,

adormecido,

espero que teus olhos digam ouvindo o vento,

Que sintas o perfume do mar que amamos juntos

e que sigas pisando a areia que pisamos.

Quero o que amo siga vivo

e a ti amei é canteisobre todas coisas,

por isso segues florescendo, florida,

Para que slcances tudo o que é meu

amor te ordena,

Para que passeie minha sombra por teus cabelos,

Para que assim conheça a razão do meu canto.

Pablo Neruda- Presente de um poeta.

https://www.pensador.com

Publicado por:

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, 29 de março de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

3 comentários em “Pablo Neruda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: