Carlos Drummond de Andrade

O menino ambicioso

não de poder ou glória

mas de soltar a coisa

oculta no seu peito

escreve no caderno

e vagamente conta

à maneira de sonho

sem sentido nem forma

aquilo que não sabe.

Ficou na folha a mancha

do tinteiro entornado,

mas tão esmaecida

que bem mancha o papel.

Quem decifra por baixo

A letra do menino,

Agora que o homem sabe

dizer o que não mais

Se oculta no seu peito?

Carlos Drummond de Andrade- Primeiro Conto (Textos Selecionados) – Literatura Comentada

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 30 de março de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: