Cárcere das almas.

Ah, Toda a alma num cárcere anda presa,

Soluçando nas trevas, entre as grades

Do calabouço olhando intensidades,

Mares, estrelas,tardes, natureza.

Tudo se veste de uma igual grandeza

Quando a alma entre grilhões as liberdades

Sonha e, sonhando, as imortalidadesRasga no etéreo Espaço da Pureza.

Ó almas presas, mudas fechadas

Nas prisões colossais e abandonadas,

Da Dor no calabouço, arroz, funéreo!

Nesses silêncios solitários, graves,

Que chuveiro do Céu possui as chaves

Para abrir- vós as portas do Mistério?

CRUZ e SOUSA.

Não espere uma data para ser feliz.

Seja.

Não existe uma data que defina quando isso pode ou nao acontecer. Simplesmente acontece.

A maioria de nós, deixa, adia, remarca , transfere o dia de ser feliz para um período em que nunca chega, e sendo assim, não vive. E é muito provável passe a vida inteira sonhando que essa tal felicidade venha pronta num pacotinho, lindo com lacinho dourado.

Ledo engano!

Não vem, não chega …

A nossa vida só muda diante das nossas atitudes. Eu posso ser feliz hoje, sem a necessidade de criar uma dependência, ou ainda arrumar uma desculpa que venha adiar …essa possibilidade.

Definitivamente, felicidade não depende de nada nem de ninguém. Depende de mim, das minhas atitudes, porque só quando eu me amo e consigo reunir condições para compreender que tenho autonomia sobre eu mesma , sobre a minha capacidade e até aonde possa chegar, é que consigo caminha, fazendo a minha própria estrada (…)

Seja feliz quando for possível [ dentro de suas limitações]. No fundo, tenha todas elas como grandes aliadas, pois ninguém, nem o melhor conselho lhe renderia tamanho proveito. Suas experiências produtivas ou não, são únicas. É a partir delas que nascem o seu sorriso.

Seja feliz quando for possível. Não se boicote o tempo inteiro. Respire…vá devagar…

…quando menos esperar, tem um sorriso largo deixando você linda!

Marii Freire.

O silêncio é um poema ousado.

Olhar frágil, exausto e confuso,

O tempo parece retê-lo, mas rígido ele

misura-se a paisagem que se vai numa despedida dolorosa, mística cheia de reticências.

Um pequeno suspiro e mil versos são ditos no silêncio de cada palavra

Na fuga de um dia que se desfaz…

Eu distraída, vejo matizes de luzes …alaranjadas, explosões de pensamentos que segue num dia sepultado.

Não discuto,

Não faço exigências,

Não me importo…

Não mesmo. as minhas dedicatórias são destinadas somente ao tempo, o senhor de todas as respostas.

Emudeco… ‘em mim só há entrega… ‘

Uma Nau,

Um amor que contempla junto comigo os meus medos, mas que me oferece o ombro todas as vezes… em que ela se aproxima.

Não me leves [ainda], pois só a poesia me acrescenta vida.

Marii Freire.

%d blogueiros gostam disto: