Cláudio Manuel da Costa

” Que inflexível se mostra, que constante

Se vê este penhasco! já ferido

Do proceloso vento e já batido

Do mar, que nele quebra a cada instante!

Não vi: nem hei de ver mais semelhante,

Retrato dessa ingrata, a que o gemido

Jamais pode fazer que, enternecido,

Seu peito atenda às queixas de um amante.

Tal és, ingrata Nise: a rebeldia,

Que vê nesse penhasco, essa dureza

Há de ceder aos galopes do dia”

Cláudio Manuel da Costa ( In: Luiz Roncari. Literatura brasileira – Dos primeiros cronistas aos últimos românticos. 2 ed. São Paulo: Edusp/ FDE,1995.p.237-8)

Literatura brasileira em diálogo com outras linguagens. William Cereza e Thereza Cochar. 5 ed. reform. São Paulo, Atual, 2013

Marii Freire Pereira

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: Thinkstock/Getty images/ Livro pessoal

Santarém, Pá 6 de janeiro de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

%d blogueiros gostam disto: