Um salto para o conhecimento

O que faz diferença na minha e na sua vida? É o quanto você estuda. É o esforço diário, a disciplina que vai moldando a sua capacidade. É comum a gente julgar, e julgar errado o outro por achar que ele leva vantagem sobre nós, até pode levar, não em tudo. Agora, uma coisa eu digo: ” ninguém faz por nós, aquilo que só cabe a cada um”. Cada pessoa é única, portanto, é dever dela fazer o melhor que for possível, dentro da condição que tem.

Às vezes você olha um pessoa bem-sucedida na vida e pensa ” ah, essa sempre teve tudo”. Provavelmente sim, outras não. Na maioria das vezes, pode ocorrer disso acontecer. Já em outras, essa pessoa não não teve um pai que proporcionasse um futuro promissor, “alguém que lhe estendesse a mão “. Às vezes o que temos na vida é ousadia. Eu sou de origem pobre. Na minha família, eu sou a única que fez faculdade. Falo família, referindo-me a relação de ” avó, mãe e eu”. Na minha vida, a referência maior que tenho são de duas mulheres. Nunca tive a referência de um homem-um pai. Como diz uma colega advogada que não vou citar o nome aqui, mas a mesma costuma se referir em relação a criança que não tive um pai presente, ou seja, figura paterna do lado dando apoio na hora certa, ela chama de “pai bosta”. Fala isso porque também teve um pai ausente. Compreendeu o desenrolar da vida, vendo a mãe trabalhar duro para sustentar ela e os irmãos. Assim, também foi a minha vida: primeiro, tive duas mulheres que me deram todas condições para que hoje eu pudesse ‘contar história’. A segunda referência foram foram os livros. A diferença maior foi que eu não fiquei só no meu espaço, sentei mesmo a banda na cadeira ( como faço até hoje) e assim vou me refugiado entre uma leitura e outra.

Ler é algo prazeroso. Além disso, esse é um compromisso que tenho comigo mesma. Através da leitura conheci muita coisa importante, como por exemplo, com o passar dos anos, tive a oportunidade de ver um ‘ Monet’ de perto. Tem quem junte dinheiro de uma vida de sacrifícios para conhecer Dubai, e a pessoa pobre que viaja para lá, acaba sendo aplaudida por quem teve uma vida de privilégios. É hipocrisia? Não sei, dinheiro acaba criando uma espécie de ‘grand quenyon’ entre as pessoas, mas se você tem humanidade em suas atitudes, elas são dignas de aplausos também. O importante é perceber que a vida não acontece só para aqueles que podem, mas para os que se esforçam e correm atrás de seus sonhos.

Todos nós podemos modificar a nossa história, evoluir como pessoa, desde que se deseje, é possível. A maioria das pessoas que conheço, elas desejam muita coisa sem sair do lugar, e desejar sem ir buscar não modifica muita coisa.

Se você é pobre, o estudo é uma maneira de tentar diminuir algumas diferenças. Então, o conselho que deixe é que se dedique. E quando as pessoas disserem que você não é capaz, continue estudando; garanto que as melhores experiências você vive. Estudar é um ganho só nosso. Quem estuda aprende a ter uma percepção crítica sobre o mundo, o que já é uma forma de viver menos alienado. Além disso, a palavra transforma qualquer pessoa. Um bom leitor faz as pazes consigo mesmo em qualquer contexto. Saber se interpretar é um ganho que só vem pelo conhecimento.

leia. Ler é uma forma de administrar sentimentos, aguçar a mente, criar um mundo onde se dialoga melhor com o outro, com a forma de perceber, diferenciar espaços, aquilo que considero como o melhor de tudo, saber harmonizar o mundo dentro de nós.

Leia. Conhecimento nunca é demais!

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: pinterest. The Minds Journal.

Santarém, Pá 12 de Agosto de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

5 comentários em “Um salto para o conhecimento

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: