Liberdade de escolha

Segundo Jean-Paul Sartre, o homem é escravo de sua liberdade. Mas, a liberdade não é fazer as coisas como nos queremos? Pois bem, toda escolha, ela resulta numa exclusão. Se eu escolho algo, logo vou excluir outro.

É preciso ter responsabilidade para fazer escolhas corretas.

A liberdade para fazer escolhas corretas, requer de nós uma grande responsabilidade. Todas às vezes que você escolhe, ainda que você seja a pessoa mais justo do mundo, o resultado de suas escolhas, podem causar dor e angústia. Numa empresa por exemplo, existem pessoas que fazem tudo para quando surgir uma oportunidade de ascensão, aquela sua pretensão seja alcançada. Quem faz parte do ciclo dos excluídos, irá ficar triste porque não conseguiu. Mais ainda, irá sempre se perguntar: ‘ por que eu não fui escolhido? “.

Escolher nao é uma tarefa fácil. Não se pode dizer: “Isto é, melhor. Isto é, pior”. Ao se escolher, sabe-se que alguém vai perder, e penso que o nosso maior peso é o de não ser justo. Conheces aquele ditado ” O que os olhos não veem o coração não sente “. Sente. Ninguém é blindado quanto as próprias emoções. Escolha é uma questão de consciência. É verdade que também se escolhe diante a ignorância. Mas, se as nossas escolhas nos ferem, temos a sensação de fracasso, porque no fundo, nós somos únicos responsáveis por elas.

Como fazer escolhas assertivas?

As escolhas todas têm consequências, sejam elas boas ou ruins. Acredito que a liberdade por mais que nos facilite escolher aquilo que se deseja, ela também nos faz reféns da bonza, assim como, da própria ruína. Não se pode contabilizar só os ganhos, mas devemos também estudar os prejuízos. Aprendemos mais com eles do que propriamente com os acertos. O que pesa mesmo sobre nós, é como fazer essas escolhas sem arrependimentos. Alguém pode voltar no tempo é consertar os erros? Não pode. O que podemos fazer é trabalhar idéia do que é possível […] em relação ao que resta.

O homem, ele é ser capaz de cumprir programas definidos, digo os seus contratos? Nos voltemos a ‘Jean-Jacques Rousseau e O Contrato Social’. Muitos de vocês que leem esse texto, recordam do que propõe Rousseau. Em parte sabemos que o homem, ele obedece viver dentro de regras estabelecidas, já a outra parte, não. Às vezes, ele não é sensato na sua forma de agir. Mais ainda, levando em consideração o comportamento humano, a gente sabe o quanto o homem é imprevisível. Ora, o homem age de uma forma. Ora, de outra.

Há momentos em que se faz escolhas diante do ódio. E aí, eu te pergunto: “será que somos justos?” Quem escolhe torturar é justo com que é torturado? Os homens criam leis, mas como afirma o próprio Rousseau: ‘ nenhuma lei deve ser injusta para aquele que cria’. E se você considerar, o que mais temos são leis injustas. A gente desenha a perfeição, porém, vive-se mais pelas próprias imperfeições… ‘como disse:’ não é fácil ser justo.’

Cada escolha, implica numa perda. O homem pode definir o conceito de liberdade, mas dentro dessa liberdade existe uma lei própria, onde ele torna-se submisso a ela. O simples fato de viver, não gera nenhuma garantia, porque a qualquer momento, alguém pode infringir um direto que é seu. Às vezes, outras pessoas escolhem por você (quando você não tem o poder de escolha). Eu pergunto novamente: ‘essa questão é justa?’ E quanto a idéia, de liberdade – será que homem é livre de fato? Vemos tantas pessoas brigando para viver a sua liberdade. No entanto, não vivem! Toda escolha é uma renúncia, e não escolher também é uma escolha. Agora, se você não escolhe, acaba fazendo o que? Acaba cedendo. Compreendeu? Liberdade não é fazer o que se deseja como todos pensam. Liberdade é uma palavra que se define como um desafio máximo, porém é algo ligado ao nosso desejo íntimo. Somos mais livres para pensar do que para agir. A verdade é que, a liberdade trata-se de uma possibilidade. Portanto, esta, não é uma garantia.

O excesso de liberdade pode de repente, causar angústia, devido o que? A minha escolha. Se faço uma escolha infeliz, o resultado disso nega-me a possibilidade de inúmeras vantagens, que se eu tivesse pensado comum pouco de equilíbrio emocional, por exemplo, poderia evitar algumas frustações.

Como disse o Sartre: ” O homem é escravo de sua liberdade “.

Pense nisso!

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem:visaojurida.com

Santarém, Pá 16 de fevereiro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Liberdade de escolha

  1. O grande problema mesmo é ser vc mesmo em determinadas horas!!!! As vezes vc tem que escolher o que é correto para não ser julgado ou mal interpretado!!!! Fato…é que vivemos em uma sociedade hipócrita e cheio de hipócritas!!!! Leis foram criadas para termos limite em nossas decisões e acertos…no final das contas, não podemos escolher nada de bom em termos de paz, amor e felicidade!!!! temos que nos adequar a coisas e as pessoas em termos de…tudo bem, aceito!!!! Abraços!!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Bem, toda escolha implica numa renúncia. Por mais que sejamos objetivos e ” justos” as nossas respostas nunca agradam a todos, as vezes, nem a nós mesmos. Por que digo isso? Porque para que, eu possa escolha algo, terei que excluir outras prioridades. Neste caso, estou sendo eu mesmo. Agora, diante de outras situações, corremos um risco ainda maior de ser injustos. Eu posso atender as minhas necessidades, mas é daqueles que assim como eu, continuam caminhando?…
      É difícil definir essa questão com clareza. Se você levar essa questão ao pé da letra, compreenderá que esses três conceitos trabalhados aqui, que são: direito de escolha, liberdade e ser justo, sobra disso tudo uma grande interrogação. A verdade é que uma coisa vai puxando a outra. Mas, se nós pararmos para avaliar, as respostas talvez…não nos agrade, como gostaríamos. A gente vive sob condição de contrato como nos lembra Rousseau. O propósito maior e atingir ao máximo os nossos objetivos e a partir disso, imaginarmos que somos seres realizados.

      Curtido por 1 pessoa

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: