Correndo atrás da vida e dos sonhos

Nós, seres humanos, talvez sejamos os únicos que ao nascer dependemos dos outros para nos ajudar, auxiliar no primeiro momento da vida.

Somos seres tão frágeis que precisamos do cuidado do outro para que crescermos ali, dentro de uma redoma de proteção. Respiramos, sorrimos, choramos e tudo nos é acolhido. Com passar dos meses, e anos vamos aprendendo ter responsabilidades.

As meninas aos poucos, vão se afirmando dentro de uma estruturação social, seguindo modelos que muitas vezes, são fadados ao fracasso, porque recebem principalmente, uma carga de informação geralmente vinda do outro que também não deu certo. Situações que você olha e vê que nem sempre refletem essa construção de mulher que temos. Ora, uma mulher não pode ser construída só através de comportamentos que tenha que refletir. Não tem só que viver de apresentar bons modos, ou por aquilo que pensa. Embora se saiba que ela, na maioria das vezes, reprima. Ou Pelas regras que tenha de se adequar a uma posição de inferioridade e, não a ajude a pensar. A sociedade nos ensina isso desde novas. Talvez, a maior dificuldade da mulher contemporânea seja falar. Ela sabe organizar as coisas direitinho. Sabe dizer o que sente, machuca e dói. Mas, quando fala é hostilizada.

Ora, uma mulher não é só a imagem que apresenta, mas aquilo que a sociedade a transforma. Uma mulher pode ser revestida de singularidade. Exibir mais do que um belo corpo e acessórios. Ela não pode fragilizar o masculino pela cor, pelo tamanho da roupa, nem pelo o pensa. A gente que essa mulher dos dias atuais, ela quer mais.

O desejo da maioria é o de ser vista. Porém, ser vista muito mais do que uma metáfora da posição que ela ocupa. Que as cirurgias plásticas que faz, que os procedimentos estéticos que se submete para se tornar a figura ideal. Ela quer dizer, que quer um tratamento de respeito. A luta da mulher hoje é por igualdade de direitos.

Uma mulher tem que respirar! Tem que ser muito além do que uma figura ética, do que uma escolha estética, do que se metaforizar a respeito dela. Hoje o que define o papel de uma mulher na nossa sociedade é a luta, a que resistir. Não é que ela nunca tenha lutado antes, é que hoje ela questiona os lugares que a sociedade diz que ele tenha que estar, posições que deva assumir.

Quando uma mulher pensar dessa forma, é porque ela já conseguiu se desprender da dependência do passado.

A figura feminina no caso, ela sai das suas impossibilidades e se potencializa, se afirma dentro da sua própria construção. Digamos que essa mulher se coloca na tentativa de ser única, justamente contrariando as regras que lhes são modelos opressores. Ela fala, assume a posição de não ser mais uma vítima, que não têm a figura fragilizada. Mas, que tornou-se símbolo da resistência tão falada nos discursos, nos enfrentamentos políticos.

Dentro das representações sociais, ela não é só mais uma figura distante, como se coloca nos desdobramentos sociais. Ela “corre atrás da vida e dos sonhos”, como alguém que não se cansa de lutar pela construção da própria imagem, do espaço enquanto enfrenta a desconstrução de seu lugar determinado pela própria cultura.

Essa mulher é muito mais do que uma imagem, ela também é sonhos e resistência.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Autoral.

Santarém, Pá 18 de dezembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Um comentário em “Correndo atrás da vida e dos sonhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: