Gonzaguinha

Por acaso algum dia você se importou

Em saber se ela tinha vontade ou não

E se tinha e transou, você tem certeza

De que foi uma coisa maior para os dois

Você leu em seu rosto o gosto, o fogo, o gozo da festa

E deixou que ela visse em você

Toda dor do infinito prazer

E se ela deseja e você não desejar

Você nega, alega cansaço ou vira de lado

Ou se deixa levar na rotina

Tal qual um menino tão só no antigo banheiro

Folheando as revistas, comendo as figuras

As cores das fotos te dando completa emoção

São perguntas tão tolas de uma pessoa

Não ligue, não ouça são pontos de interrogação

E depois esses anos no escuro do quarto

Quem te diz que não é só o vício da obrigação

Pois com a outra Você faz de tudo

Lembrando daquela tão santa

Que é dona do seu coração

Eu preciso é ter consciência

Do que eu represento nesse exato momento

No exato instante na cama, na lama, na grama

Em que eu tenho uma vida inteira nas mãos.

Gonzaguinha. Ponto de Interrogação.

m.letras.mus.br

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem. Pinterest. Helio Venzziti

Santarém, Pá 8 de dezembro de de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Gonzaguinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: