Charles Baudelaire

[…]

Súbito, os sinos saltam com ferocidade

E atiram para o céu um gemido fremente,

Tal aquela errante almas sem cidade

Que ficam lamentando-se obstinadamente

E féretros sem fim, sem tambor ou pavana,

Lentos desfilam dentro de mim; e a Esperança,

Vencida, chora, a Angústia, feroz e tirania,

A negra flâmula em meu curvo crânio lança”.

Charles Baudelaire. Spleen – LXXII

Literatura brasileira:William Cereja e Thereza Cochar. 5ed.reform. Atual. São Paulo, 2013

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. As Told By Ash And Shelbs

Santarém, Pá 4 de dezembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: