Infância

Tem momento mais gostoso para ser lembrado do que infância? Acho que de todos os momentos, esse é um casamento feliz, digamos a relação perfeita do marido, do companheiro, disposto e apaixonado que nos cerca a memória.

Creio que os dois momentos mais importantes de nossas vidas é a infância e quando a gente se casa. São situações distintas, claro. Mas, marcam fortemente a nossa vida. A primeira, no caso, a infância, porque tem essa relação natural com a inocência, candura. Já no segundo momento, esse detalhe é marcado pelo casamento – pelo o amor – o impulso maior que nos faz realizar os sonhos. E o amor tem muito de inocência. Eu acredito que só somos capazes de amar verdadeiramente se existir esse sentimento ligado a pureza, no caso, a inocência. As outras formas de amor, são genéricas. E apesar de muito se falar a respeito disso, o que impacta mesmo, é a questão da inocência que há em relação ao que se aprende a respeito desse sentimento.

Quando criança por exemplo, gostamos daquela figura mártir que a mãe representa, não é? Da paixão, a relação de cuidado do pai. E quando nos casamos também. A mulher transforma esses momentos em valorosas lembranças. Na verdade, esse é um processo contínuo. Pois, mais tarde, ela revive isso, digo essa experiência boa que foi ainfância, vendo o crescimento dos próprios filhos. Quer dizer, você recorda os momentos prazerosos na medida em que observa os filhos crescerem. Então, você vivencia essas coisas novamente. E deixa dizer – é algo tão gratificante que mesmo adultos, a gente vez ou outra, recorda as brincadeiras com os filhos. De repente, quando vemos, nos somos a criança juntos com eles.

O prazer que a infância nos proporciona também encontra-se naquilo que conseguimos reconstruir, reconsiderar, vamos dizer assim. A memória mesmo dando sinais de falhas, por alguns segundos, ela nos permite ter uns desses relances de quando éramos meninos e meninas. Você lembra das traquinagens, dos momentos de acertos, das aventuras e tudo mais. Isso porque a mente preserva algumas imagens, e num dado momento, há um impulso prazeroso que faz com que se tenha essa sensação gostosa ao olhar para o passado de um jeito doce. Digamos que, não se consegue virar a página, porque é uma experiência contida em nós. A infância é uma experiência muito boa.

As peculiaridades do ser humano passa por esses momentos em que ele lembra da própria origem, dos momentos marcantes, daquilo que foi determinante em nossa vida durante um período. A influência positiva que recebemos dessas experiências, sejam psíquicas, motoras, cognitivas, dizem muito sobre nós a medida que crescemos e nos tornamos adultos. Evidente, porque acabamos sendo moldados a partir disso. Então quando essa criança cresce, o adulto se potencializa. Mas, vive sempre preso naquele molde antigo ( crianca). Isso é bacana, porque faz com não percamos a nossa criança.

” A criança que vive em mim, saúda a criança que vive em você. Namastê!”

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem ( Arquivo pessoal)

Santarém, Pá 27 de novembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Infância

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: