William Shakespeare

As horas que suavemente emolduraram

O olhar amoroso onde repousam os olhos

Serão eles o seu próprio tirano,

E com a injustiça que justamente se excede;

Pois o Tempo incansável arrasta o verão

Ao terrível inverno, e ali o detém,

Congelando a seiva, banido as folhas verdes,

Ocultando a beleza, desolada, sob a neve.

Então, os fluidos do estio não restaram

Retidos nas paredes de vidro,

O belo rosto de sua beleza roubada,

Sem deixar resquícios nem lembranças do fora;

Mas as flores destilaram,sobrevieram ao inverno,

Ressurgindo, renovadas, com o frescor de sua seiva.

William Shakespeare. Soneto 5

http://www.culturagenial.com

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Chic pursuit/ Blogging For Beginners + Mate Money Blgging.

Santarém, Pá 30 de outubro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “William Shakespeare

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: