Mulher: vã é a tentativa de uma sociedade que não quer reconhecer as tuas angústias

De todas as questões que incomodam a mulher, nada é tão significativo quanto o fato, de viver numa sociedade que não vê ou finge não exergar muito de nossos direitos. A verdade é que essa relação de negligência vem da falta de proteção constitucional de outrora. A mulher sempre foi tratada com uma postura extremamente rígida. Era um ser com deveres, mas que não tinha as mesmas condições que os homens. Faltava-lhes não só oportunidades, mas consciência para defender a sua própria opinião.

As mulheres não eram educadas para questões decisivas. Tinham sim, o direito exercer a maternidade, bem como, cuidar do lar, marido e filhos. Como ser sem voz, elas não participavam da vida pública. A maioria era vista como cidadão inativos. Os único cidadãos ativos e passivos podiam usufruir dos direitos políticos, no caso, os homens.

O José Bonifácio de Andrade e Silva disse em sua época a seguinte frase: ” Por que motivo as mulheres devem obedecer às leis feitas sem a sua participação e consentimento?” Ora, imagine, se ela vivia no limite da imposição masculina, herdada pela figura forte do pai, ou seja, do homem que mandava, o legislador tinha interesse em conceder algum reconhecimento às mulheres? Evidente que não. Negar-lhes direitos como a educação e outros valores, era a representação máxima do que? Do controle que os homens exerciam sobre a mulher.

Hoje, depois dessa mulher ter sido vítima de tantos maus tratos, abusos físicos e sexuais, essa certeza de negligência, ainda limita muito dos seus direitos? Ou será que acabou? No passado, tal detalhe ocorria por conta de uma sociedade que era guida pela imposição masculina? A proteção constitucional que hoje lhes é garantida, assegura o reconhecimento de todos direitos? Evidente que não assegura. Exemplo disso, foi o fato de uma menina ter sofrido abusos durantes anos, e aengravidar do abusador, parte dessa sociedade ter se mostrado contra. Esses são questionamentos que ficam, prque dependendo do direito, a mulher infelizmente, não tem o poder de decisão.

Ora, ela pode decidir em determinadas situações, mas o andamento da questão, dependendo da situação depende dos homens que criam as leis, hoje com a participação delas. Claro muita coisa, existe o reconhecimento, a competência, a participação da mulher na sociedade, na vida política, na condição dela escolher ser, o que quiser. Todavia, muito disso, ainda gera resistência em relação a uma série de fatores. A condição também faz com que a mesma continue sofrendo abusos. Foi o caso da menina que a sociedade a chamou de assassina.

O que vemos nos dias atuais, em relação a mulher, é que a mesma tem buscado pelo reconhecimento de um lugar ou mesmo de um direito. E toda vez que ela faz isso, torna-se objeto de debate. A coisa mais notória que se percebe, dar-se em relação aos critérios, sob quais condições ou aspectos a mulher tem o poder de agir sozinha, decidir ou não? Aonde existe o interesse do Estado por exemplo, ele consegue interferir. Mediante esse problema, é necessário dizer que todas as mulheres devem continuar lutando por aquilo que é seu por direito.

A mulher seja ela moderna ou com pensamentos retrógrados ( existem muitas), assim, elas continuam sendo ” apontadas”, ” criticadas” e “vítimas “, tanto quanto antes. Outrora, ela era sensível e invisível. Hoje, mesmo com tantas conquistas, ela só pode exercer um direto de forma relativa. O histórico de luta pelos direitos femininos é algo para ser debatido diariamente. A verdade é que a mulher continua sofrendo imposição da sociedade. Em alguns aspectos mais outros menos, mas continua.

O que ela deve fazer desistir? De forma alguma. Vã é a tentativa da sociedade em não querer admitir certos direitos. A mulher tem que continuar tentando. Muitas inclusive, devem conquistar aquilo que acho mais importante que é a emancipação intelectual. Algumas simplesmente, não sabem discursar à seu favor. É imprevisível que a mulher tenha uma postura segura diante dianto do que necessário e bom a ela mesma. Quando ela tomar consciência tudo pode ganhar um novo sentido.

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. Se Heart lt

Santarém, Pá 25 de agosto de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: