Racismo

Segundo Florestan Fernandes, o racismo é algo que vem sem combatido desde os primórdios. Ele também afirmou que no Brasil não havia racismo, e que isso só teria vindo fazer parte do contexto brasileiro, após mudanças na vida e no trabalho que envolveram ações direta do negro. Claro, como se sabe , o europeu trouxe o negro para cá para fazê-lo trabalhar em suas terras.

” O passado colonial deita as suas raízes profundas na formação social brasileira “. Assim escreveu Florestan, num livro chamado ” Significado do Protesto Negro “. É um livro excelente, recomendo.

O negro surgiu no Brasil como um símbolo de esperança, precisava- se de pessoas para trabalhar. O solo histórico do Brasil é composto pelo resultado dos superexplorados ( negros e índios), não se pode esquecer desse detalhe. O trabalho dessas pessoas foi algo essencial para a produção da riqueza, da cultura e poder. O Brasil, simplesmente não pode negar tal realidade. O negro é símbolo da persistência do colonialismo, portanto há de se falar dessa dívida que existe há décadas. A burguesia é o que é, porque encontrou na força dessas pessoas, a condição para a ascensão. Poderiam existir muitos ricos, porém, sem a devida contribuição dessas pessoas, ricos não seriam tão poderosos. O negro sofreu inúmeras humilhações. Sofre, não é? Vamos fazer ” jus” a prática do racismo. O que é o racismo? O racismo nada mais é do que “resquícios do passado”. Nós, temos uma dívida com os negros, como já disse. E por que? Porque eles foram peças fundamentais dentro dessa proposta de formação social. Nós, temos filhos, temos netos, temos sangue de negros nas veias. A herança da escravidão, serviu para essa mistura bonita que é o Brasil. Embora, exista aqueles que não concordam com essa colocação, não se pode negar os inúmeros estupros vividos pelas mulheres negras, da mesma forma, que nao se pode negar inúmeros outros dilemas que o negro vivenciou até os dias atuais. O Brasil, tem que olhar para si, e não negar parte daquilo que ele é. O resultado de nossa gente, digo de toda essa mistura, é uma coisa maravilhosa. Portanto, não deveriam existir essa negativa contra o negro em nosso país. Aliás, de modo geral, essa não é só uma característica do brasileiro, a questão do racismo se alonga em protestos em vários outros países. Isso vai desde, o uso de termos pejorativos, até a morte de pessoas negras. Pode-se dizer que os conflitos em si, ganham força com a discriminação e tudo mais. Agora, é preciso lutar para impedir essa prática. Quando digo, ” precisamos lutar para impedir essa prática “, refiro -me também aos negros. Eles principalmente, porque quando se sustenta essa visão, estamos lutando por uma construção igualitária em nosso país. O que se deseja com isso é que as pessoas negras seja valorizadas pelo o que são, e não por sua cor, como existem práticas depreciativas em relação as mulheres e homens.

Outra questão importante em relação ao negro é que não preciso isolar uma raça e classe para negar-lhes as mesmas oportunidades de que um branco tem. Claro, isso existe e é sim, uma postura errada, tanto que se discute essa questão, porque o que se nota, é a elite enriquecendo cada vez, que tem e sempre teve melhores oportunidade nos estudos, por exemplo. Enquanto que um negro para chegar a uma faculdade tem que mudar a sua postura, bater o pé e dizer, ” Eu chego la”, os brancos nunca tiveram problemas em relação a isso. Todavia, não são todos os negros que têm o mesmo pensamento. E isso é ruim por inúmeras situações, porque se você deixa de lutar, simplesmente, os direitos deixam de existir. Todavia, é fundamental que a população afrodescendente brasileira tenha esse pensamento de mudança, que é…aprender lutar por ela mesma.

Hoje, os negros acabam tendo uma política muito mais favorável para a conquista de seus direitos do que no passado. Então, essas pessoas que valorizar a sua história de luta e resistência para manter em dia as suas necessidades, são pessoas privilegiadas porque, dentre outras coisas, elas entenderam a razão e o porque de lutar. Quanto ao preconceito sofrido pelos brancos, fica a sensibilização para a questão de que lutem…lutem para superar as sequelas de toda uma crítica em relação a tudo o que viveram, aos dilemas, a falta de oportunidades, o desejo igualitário. Este sim, deve ser uma meta a ser alcançada.

“Lutem e façam valer os seus diretores!…”. Marii.

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. rawxel

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: