Santa Rita Durão

” Bárbaro ( a bela diz:) tigre e não homem…

Porém o tigre, por cruel que brame,

Acha forças amor, que enfim o domem;

Só a ti não domou, por mais que eu te ame.

Fúrias, raios, coriscos, que o ar consomem,

Como não consumis aquele infame?

Mas paga tanto amor com tédio e asco…

Ah! que corisco és tu…raio…penhasco!

………………………………………………………….

Tão jura ingratidão menos sentira

E esse fado cruel doce me fora.

Se o meu despeito triunfar não vira

Essa indigna, essa infame, essa traidora.

Por serva, por escrava, te seguira.

Se não temer de chamar senhora

A vil Paraguaçu, que, sem que o creia,

Sobre ser- me inferior, é néscia e feia.

Enfim, tens coração de ver- me aflita,

Flutuar, moribunda, entre estas ondas;

Nem o passado amor teu peito incita

A um aí somente, com que aos meus respondas.

Bárbaro, se esta fé teu peito irrita,

( Disse, vendo- o fugir) ah! Não te escondas

Dispara sobre mim teu cruel raio…”

( Santa Rita Durão. In: Hernâni Cidade. Santa Rita Durão. Rio de Janeiro: Agir, 1957.p.87-8)

Literatura brasileira: William Cereja e Thereza Cochar. São Paulo, 2013

Marii Freire Pereira.

https:// pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Mariãngela Haddad. Arquivo pessoal

Santarém, Pá 10 de agosto de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: