A doce subversão da vida

Eu começo esse texto olhando para os olhos de uma menininha que nada entende acerca da existência, mas que permite-me olhar para a mesma com um olhar candura, com um olhar de suavidade no meio de sua intrigante sabedoria.

A vida é dura, e me parece que essa criança terá que vencer junto com a sua família, o lado fascinante, assim como aquilo que reflete as frustações futuras de quem tem um câncer diagnóstica como é o caso dela.

Eu procurei bem um título que refletisse a beleza de uma pequena guerreira. A beleza de uma mulher nos pequenos olhos de que está aprendendo a decifrar a vida com outras expectativas. A sensibilidade neste caso, parece-nos marcante. E eu optei por ela, porque me importo com o sofrimento do outro, com a dor e tudo aquilo que não posso modificar. Assim como, ela existem várias outras crianças, pessoas adultas, por que não dizer?! Sim, muitas vivem tal realidade!..

É preciso reconhecer o valor dessas pessoas, assim como, as suas limitações. E um detalhe que considero importante: como o isolamento numa cadeira de rodas muda o seu estilo de vida. As descobertas de readaptação faz com que essas pessoas valorizem ainda mais as suas vidas.

A perda pode existir, mas o coitadismo não. A verdade é que, diante da morte muitas pessoas enxergam a grandeza das pequenas coisas que um ser humano saudável nem sempre tem a mesma possibilidade de enxergar. São as limitações que ultrapassam as fronteiras do ânimo e dão a essas pessoas a possibilidade de nos tomar de uma surpresa agradável, um sorriso que nos oferece, às vezes, nos tira o chão (…), porque nós, temos por hábito olhar as suas limitações, e elas nos olham pensando sempre na expectativa da vida. E estão certas! a vida é espetáculo. Nós, é que devemos, vez ou outra, aprender a cuidar dela com carinho. No caso dessas pessoas então, não há desculpas, mas necessidades a serem supridas. É o que fazem!… Usam o sabor da derrota para valorizar o que a maioria de nós desperdiça.

Via de regra, o que as humaniza é isso. Quantas desculpas temos de gente sã, e de repente, somos surpreendidos pela vontade de outros em viver? Essa consciência é que dita o nosso comportamento. Uma pequena brisa em sua cadeira de rodas, mas cheia de suavidade. Isso não faz com que, surja em nós, uma vontade maior em querer viver? Faz.

Uma garotinha que nos mostra com um exemplo tão bonito que…” superar” é poder caminhar.

[…]

Marii Freire Pereira

Imagem: O Globo

Santarém, Pá 7 de Julho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: