Amor próprio

Para que possamos ter uma relação saudável com alguém, primeiro devemos ter uma relação boa conosco. Eu só tenho condições de amar o outro, se tenho amor a minha pessoa em primeiro lugar, ou seja, sou capaz de me amar.

Há pessoas que dizem amar (ao menos nos primeiros cinco minutos ) de suas vidas. E amam mesmo, são loucas de amor, vivem envolvidas no fogo da paixão. Dizem ser fiel, mas a verdade é que, não conseguem respeitar nem a si. Além de arruinar as suas vidas, as suas histórias, elas mesmas, destroem a autoestima de quem lhes faz companhia. São assim por natureza, e justamente por não mudar as suas condutas, sofrem e fazem sofrer aqueles que são afetados por suas decisões. São ditas, pessoas imaturas. Querem correr sem aprender a caminhar primeiro.

A priori, essas pessoas são vistas como perfeitas, adoram inovar, oferecer e o que há de melhor. Sempre são carregadas de um narcisismo exacerbado, não aceitam ofensas, mas estão sempre criando polêmicas. No amor, não é diferente. Há sempre um mal-entendido, exatamente por nunca se decidir pelo o que querem.

[…]

“Quem vive de pegar todo mundo, na verdade, não tem ninguém”. A maioria age assim, pega todo mundo e no final, vive só. Agora, se eu quero um relacionamento saudável, eu faço o que? Devo procurar uma pessoa com as qualidades que tenho urgência em encontrar. Eu não posso ter um comportamento duplo, pelo contrário, tenho que oferecer a uma pessoa, aquilo que desejo encontrar nela. Tenho que passar uma imagem confiável. Uma pessoa que não se decide, é alguém que certifica isso? Não. Nós devemos sentir aquilo que oferecemos!..

Quando demonstramos interesse por uma pessoa, se deseja que ela seja mais interessante, depois da cama. Alguém com conteúdo ‘Amor próprio’. Alguém que tenha uma conversa interessante, e que também desfrute com respeito daquilo que temos para oferecer. Amor é uma de troca mútua. É reciprocidade, confiança. Por isso, é fundamental reconhecer essa coisa gostosa que ele nos oferece. O êxito de uma relação parte sempre desse propósito: oferecer algo bom, algo de valor ao outro. Quando a coisa não anda por esse caminho, é bom ficar atento. Bem mais do que destreza, é preciso ter sorte …para encontrar alguém para amar.

Quando procura alguém, tenho que ter o privilégio de ser forte, ser uma pessoa boa para encontrar um parceiro que esteja a altura de minhas exigências. Não tem como negociar o amor, tem como fazer reajustes, e no máximo tomar decisões em comum acordo. Quando a gente define sentimento, quando somos positivos, firmes em nossas decisões, estamos também tendo nisso tudo, o tal do “amor próprio”. Ter amor próprio ,ter uma autoestima elevada ajuda bastante em relação a essa procura. Por que falo isso? Porque mesmo no dias em que eu não tenha um céu de brigadeiro, eu sou capaz de viver bem comigo mesmo (a). Claro, ter alguém especial do lado, sempre ajuda. Mas, quando não tenho, eu posso carregar comigo o prazer que é ficar sozinho (a), eu tenho que gostar de solidão para aprender o valor de ter uma pessoa especial comigo.

Há pessoas que carregam dor e culpa por seus atos, suas falhas, ou seja por aquilo que acaba se diluindo!..

Bem, nem tudo depende de nossa vontade. Às vezes, as coisas acontecem de forma, que o que chega vem recompensar uma perda, já outras não…

A dor é inevitável, os problemas de modo geral, sao assim. Mas, se diante de tudo isso, tenho maturidade suficirnte para compreender tais questões, isso significa que saberei lidar com o amor, ou com a ausência dele.

Se sou capaz de me manter em pé diante de qualquer situação, seja lá as limitações que a vida me apresente, digo, se tenho esse discernimento, acerca de tudo, certamente saberei me amar o suficiente para ter alguém do lado, e o melhor: não aceitar nada menos do que possa oferecer.

Para amar uma pessoa e conviver com ela, eu preciso ter respeito por mim e por ela. Eu não posso submetê-la a uma ditadura pessoal, ou seja, fazê-la cumprir uma série de exigências por conta de uma postura neurótica de minha parte. Eu não posso sobrecarregar a pessoa que amo com tantas exigências. Claro, há conversas importantes dentro de uma relação é tudo aquilo que é possível negociar. Tudo parte de um acordo entre ambas as partes. Eu não posso nutrir um relacionamento destruído, eu não posso deixar que a pessoa que digo que amo, me maltratar. Justamente por me amar é que não posso deixar que a pessoa faça o que quer de mim. Assim como, também não posso impor os meus desejos sobre os seus direitos. Amor é, antes de qualquer coisa, ter respeito pela pessoa que dizemos amar. Aliás, qualquer relacionamento precisa ser construído em cima de bases sólidas, e antes de se envolver com uma pessoa, você preciso ter por você e por ela :

1. Respeito

2. Amor

3. Fidelidade

4. Lealdade

5. Diálogo

O respeito vem em primeiro lugar, antes mesmo do que o amor. E por que? Porque ele é a medida de tudo na vida. Depois o amor, porque se você tem amor, mas não tem respeito, você vai submeter o outro aos seus caprichos, as suas vontades. Isso nem sempre é bom, porque sobrecarregar o parceiro.

Bom é quando somos capazes de somar juntos. A fidelidade vem em terceiro lugar porque você tem um compromisso moral com alguém. Portanto, você acaba tendo uma obrigação maior com aquela pessoa. Em seguida, surge a questão da lealdade. Lealdade significa você ser verdadeiro com os seus sentimentos em relação a pessoa com quem tem um envolvimento. Significado que existe em ambas as partes, uma espécie de generosidade, onde você consegue olhar um para o outro de maneira surpreende, ou seja, tem a consciência que o sucesso daquela relação depende do que vocês têm investido nela. E a última questão que é fundamental para a saúde desse amor, é o diálogo. Muitos casais não conversam. Às vezes, têm a sua maneira de se relacionar, mas não desfrutam dessa coisa boa que o diálogo proporciona. Muitos convivem, mas guardam as suas decepções, melhor, acumulam as falhas do outro, sem dizer o que é possível melhorar. O diálogo, ele pondera, suaviza, torna toda e qualquer relação saudável. Então, é necessário e fundamental que se converse bastante para melhorar a qualidade daquilo que precisa ser externado.

Compreendeu o eixo central dessa questão? Seja uma pessoa bem resolvida, tenha consciência da sua forma de agir, da sua postura em relação a outra pessoa. E o que é mais importante: ame-se. Só quando nos amamos é que temos condições de amar e respeitar a nós do outro. Não é a outra pessoa que é mais imponha relação é você. Coloque-se em primeiro lugar. Se respeite que você terá condições de respeitar quem decidiu amar.

Beijo grande no coração!..

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. Twitter.faryal on Twitter

Santarém, Pá 30 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: