Máscara mortuária de Machado: fechados para sempre os olhos que tinham desvendado tantos mistérios

Querida, ao pé do leito derradeiro

Em que descansar dessa longa vida,

Aqui venho e virei, pobre querida,

Trazer-te o coração de

Companheiro “.

Machado de Assis ( Vida & Obra). Várias Histórias. Ática. 1997

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Santarém, Pá 20 de maio de 2020

No seu derradeiro romance _ Memorial de Aires _começado em 1907 e terminado em 1908, o escritor estava profundamente triste ( perdeu o prazer de viver), por conta da ausência de Carolina. Tinha a vista fraca, infecção intestinal, úlcera na língua. Morreu às 3h é 20 min da madrugada do dia 29 de setembro de 1908. Nessa data, no Rio de Janeiro, decretou luto oficial. Machado foi sepultado ao lado de Carolina a quem prometera no soneto acima.

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Um comentário em “Máscara mortuária de Machado: fechados para sempre os olhos que tinham desvendado tantos mistérios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: