Paixão

Qual homem não é movido por suas paixões? Nenhum. Todos somos escravos de nossos desejos. Faz parte da essência humana toda e qualquer manifestação de demonstração de amor – amor por si próprio, depois pelo outro. O amor é o combustível vital da humanidade. É a suavidade desse sentimento que a priori, ocupa todos os espaços da nossa imaginação, fazendo com que sejamos capazes de pensar na pessoa amada, de modo a desejá-la, querer pra si. Assim como, ter a curiosidade para saber o que a outra pessoa está fazendo. Se ela pensa em você com a mesma intensidade, desejo, ou seja, tudo o que é próprio desse sentimento.

Desde o começo da relação, a pessoa busca na outra, a receptividade dos sentimentos, ou seja, o grau de valor que investe. Ela quer se sentir a completa, e para isso, passara aprimorar cada vez mais a relação. Tem o carinho, um cuidado especial, um jogo de sedução que é próprio da paixão. E através disso, você nota que os casais feliz, conversam muito. E não é nada desgastante, pelo contrário é um diálogo prazeroso, eles têm a necessidade de conversar e querer participar da vida um do outro. Andam de mãos dadas, sorriem juntos, por que? Porque têm essa capacidade de saber se interpretar de uma forma saudável. O namoro é uma preparação para um passo mais importante na vida de um casal. Ele só perde essa característica quando há uma indisposição por parte de uma das pessoas que vive a relação. No mais, quando o problema é de fora, todavia, afeta esse casal, então é que isso fortalece cada vez mais a vontade de ficarem juntos. É como diz uma frase de Shakespeare:” A paixão aumenta em função dos obstáculos que lhe opõe “. Ninguém melhor que o próprio Shakespeare para falar acerca de paixões com obstáculos, pessoas que não medem sacrifício para viver um grande amor. Quanto maior for as barreiras impeditivas, melhor o que se recebe em troca.

A verdade é que a paixão, ela tranquiliza os coração humanos, eleva a autoestima, nos faz olhar para o mundo com um filtro especial. Muda o nosso jeito de ser, faz inclusive que, se goste não só de si, mas das outras pessoas também, porque a medida que você compreende toda essa magnitude vinda a partir de um sentimento, então, passar também a desejar amor na vida de outras pessoas. A paixão alimenta o cérebro com informações boas. Só tem um problema, ela não aceita nada pra depois. Tudo é verdadeiro demais e intenso.

A paixão pode ser momentânea e avassaladora, depende muito das bases em que se sustenta os seus preceitos. Todavia, quando bem administrada consegue desfrutar de uma cumplicidade muito boa.

O Filósofo Krishnarmurti diz O seguinte acerca do amor:

” Liberdade e amor andam juntos. Amor não é reação. Se eu o amo porque você me ama, trata-se de mero comércio, algo que pode ser comprado no mercado…”

Eu acrescento o seguinte: cautela para saber qual é o seu poder de barganha. Namore, ame…Mas, queira sempre desfrutar da plenitude de um sentimento que lhe ofereca reciprocidade e liberdade. Liberdade é o que faz com que as pessoas se amem sem imposições. Estão juntas por se querem ofertar e sentir prazer.

Marii Freire Pereira

Imagem: Google

Santarém, Pá 29 de abril de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: