Aprendizagem

” Do nascimento à morte a vida está repleta de dor”.

Disse Buda: a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional “. Essa frase parece ser uma frase simples, mas se você olhar bem o contexto de nossas escolhas, percebemos o quão difícil é saber dosar isso da maneira certa, porque ainda que você faça a opção por aquilo que achar que é melhor, o correto para si, sempre irá sobrar alguns arranhões. Fazer a escolha correta, nem sempre significa que você não sofra. Ao contrário, ás vezes sofremos de forma trágica, pelo simples fato de ter que escolher.

É impossível que o resultado de suas escolhas não o sensibilize, porque começo e fim, está diante de você, e o fruto dessa travessia, muitas vezes revela a dor na sua forma mais profunda.

É claro que o sofrimento pode ser opcional. Sim, isto é possível. Algumas coisas têm um peso menor. Mas, a maioria não. Se for um amor por exemplo, você faz planos, constrói sonhos de uma vida a dois. Se for a morte de um ente querido, aquilo leva um pedaço de você. Neste caso, o sofrimento não é superficial, pelo contrário, passa a antigir o espírito, a alma (…), o interior de cada indivíduo.

Todas as perdas, elas abrem portas terríveis para algo que se precisa conhecer.

O ser humano fica diante de suas fraquezas, de modo que, as feridas abertas parecem não querer cicatrizar nunca. É impossível não sentir. Se é uma amizade, você ganha ou perde, porém o impacto da quebra, ela nos atinge, desestabiliza, fere a ponto de fazer morrer dentro de nós sentimos valiosos. A dor ela proporciona conhecer o mais profundo, ou seja, dentro de nós, ela rasga o coração, o pensamento, nos levando a tristeza.

Aprender a lidar com os seus traumas, é sim uma tarefa árdua.

Toda pessoa que passa por uma situação dolorosa, ela perde a paciência, até o equilíbrio. Agora também tem algo interessante que é preciso falar. Mesmo que você sofra e perca o equilíbrio algumas vezes , é preciso prosseguir. Procurar refletir, tirar as experiências positivas e se recompor, se reconstruir. Seguir em frente e ser feliz.

Todos nós precisamos conhecer as delícias e os dissabores da vida

Imagem pública

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pa 20 de fevereiro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: