Oásis

Quantas situações desagradáveis passamos na vida para conseguirmos ter um pouco de prazer? Quantos desertos enfrentamos para conseguirmos recompor aquela parte de nós, dos nossos sentimentos que por vezes, descobrimos que foi uma miragem (ilusão), criada a partir de uma confusão vinda da maneira equivocada de interpretar a vida? Certamente, você irá responder, várias.

Inumeráveis sofrimentos são cultivados dentro de nós por conta dessas interpretações erradas. Há casos, que muitos viram transtornos mentais

São as voltas que a vida dá, e o tempo nos convida a conhecer a grandeza de nossos limites. Eu costumo imaginar que essa rigidez com ela nos força percorrer longas distâncias, poderiam ser menos dolorosas se de fato, pudessemos alcançar a felicidade não de forma fragmentada, mas com um certo consenso. Se o sublime ( que também é uma realidade), não nos fosse dado somente no final, poderíamos a grosso modo, fazer das imperfeições aromas suaves para trazer aos pensamentos de leveza, ao invés de tristezas […]

” Os grandes desertos são da alma”.

Os maiores desertos são os da alma, porque nela é onde se percorre os maiores caminhos, ou seja, os caminhos composto por sentimentos. É através deles que tudo nasce ou morre. Depende de como se recepcionar isso dentro de cada um, cada pessoa, cada ser humano.

São inúmeros sentimentos que podem dessecar a solidão, a tristeza, a angústia, os medos, e diferentes formas de fobias. Tudo isso existe dentro de cada pessoa, e vira uma confusão enorme quando não sabemos lidar com eles.

” Tem aqueles que viram verdadeiros farrapo de vida, e vivem sem nenhum significado, e não é para o outro, mas para si”.

Tem pessoas que perdem o sentido da vida, o desejo de lutar. E se o ser humano perde essa referência, como vai conseguir voltar a ser o que era? Eu só conheço uma forma, viu!? É como diz o Mario Sergio Cortella: ” pare de cavar ainda mais o poço…”. Essa frase faz todo sentido, porque pondo-nos diante nossas contradições, ela nos faz olhar para as nossas próprias dimensões e nos convida a enfrentar nossas crises de maneira realista.

É como se olhando a vida dessa maneira, ela promovesse o diálogo dentro de nós, fazendo com que se veja que os delírios podem até ter a sua generosidade, mas viver, como a Elis Regina: ” Viver é melhor que sonhar…”.

Viver é melhor que sonhar, certamente. Se reconstruir, ser capaz de se refazer novamente, é a prova de que ninguém morre de sede nos desertos da vida.

O sol pode ser escaldante, as confusões mentais, podem nos deixar desnorteados vez ou outra, mas o caminhar, ah!…esse deve ser constante.

Se ainda não encontrou o seu oásis, continue procurando.

Imagem: Google ( Oásis do Maranhão) . Na verdade, são lagos belíssimos que existem naquele lugar. Qualquer dúvida, procure no Google. Conheça-os!

Texto: Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 15de fevereiro de 2020.

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Oásis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: