Encerrar ciclos:

Recolher – se no silêncio de nós mesmos: -“No rascunho de nossas emoções…”

Talvez um dos momentos mais difíceis de nossas vidas seja aquele em que precisamos sacudir o que repousa dentro de nós, para começar a se amar.

Para recordar aquilo que somos, e que por algum motivo parece ter se afastado, dilacerado, transformando em silêncio e choro, um mundo que antes, era cheio de vida. A cabeça inclina,os braços ficam caídos, a alma arrasta-se pelo chão. É que nem folha chega, em que o vento leva aonde quer.

Há uma agitação constante em meio à um olhar áspero que temos sobre nós . Simplesmente a fragilidade chega e nos tornamos reclusos, ladeado de sentimentos…vago, inquieto o tempo todo…

Nem sempre é fácil diante de uma situação como essa, abandonar a si mesmo. Abandonar tudo aquilo que em certo momento nos trouxe vida, mas que completou o seu ciclo, e teve a sua devida importância, porém…acabou!

O dia seguinte é um convite. É isso mesmo, ele chega para todos. Quando você baixa o olhar é sinal que está procurando alguma referência para ter a frente o caminho a seguir. São novas coordenadas que você terá de mostrar habilidade necessária para devagarinho…caminhar. Claro, agora com um olhar no horizonte, cabeça erguida, passando a mão nas feridas, mas indo. Vá, se preciso até disfarce , a forma de pisar, já que os pés não conseguem ter apoio suficiente para aguentar o peso do corpo . Porém, o importante é o que lhe espera lá fora.

Gente, nada é mais miserável no ser humano do que bloquear as próprias emoções. Fingir que não dói. Eu conheço muita gente que vive uma vida de amarguras porque não conseguiu viver em harmonia consigo mesmo. Pessoas que escolheram a dor para lapidar. É horrível, pois são pessoas negativas, que só te coloca para baixo, que fere com palavras. Isso muito ruim, porque é uma forma dolorida para elas mesmas. São situações que nasceram na vida de pessoas que não souberam, ou mesmo quiseram romper com o velho, para conseguir recepcionar o Novo.

É preciso reconhecer-se na miséria de si. Ser capaz de dizer: ” eu não quero isso pra mim “. Eu consigo ser mais.

Pessoas que não sabem perdoar, machuca, é são capazes de destrói qualquer relação. Seja amizade, relacionamento. São em geral, tomadas pelo orgulho. E orgulho aprisiona, fecha os olhos para a realidade. É igual a um pântano, só tem água podre (…)

Se você chegar a essa situação, saia. É melhor averiguar a realidade e romper tudo com tudo aquilo que gera sofrimento.

Queira reconstruir…[re]comece. As vezes um passo atrás, significa dois a frente.

Tenha coragem!…

Boa sorte!!

Marii Freire Pereira.

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: