Queria você, mas tudo é ausência…

Tudo é queixa ,

Tudo é solidão.

Vou refugiar- me a tua porta

Rasgar o meu coração,

Balbuciar palavras de amor

Dobra-me no agasalho das lembranças,

Quem sabe assim, eu possa te alcançar .

Em lembranças…

Fecho os olhos, e sinto o aroma suave do teu perfume

[…] que importa isso agora?

Não soube ser amor

Quando deveria sê- lo.

Só me resta gritar em silêncio

Tudo o que já não podes ouvir,

Teus erros

Tuas mentiras

Ilusão…

Não tenho palavras para definir o que sinto

Não houve troca,

Não houve nada.

Não houve amor…

[Só tristeza]

Vou refugiar-me ao asilo de minhas lembranças.

Marii Freire.

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: