Nudez

Ó encontro de mim, no meu silêncio,

configurado, repleto, numa casta

expressão de amor que se despede.

a morte sem os mortos; a perfeita

alucinação do tempo em tempos vários,

essa nudez, enfim, além dos corpos,

a modelar Campinas no vazio

da alma, que é apenas alma, e se dissolve.

Carlos Drummond de Andrade.

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Nudez

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: