O último raciocínio

Salvo pelo último raciocínio, o homem arregala os olhos- com toda ferocidade. E desperta para entender, ver o que vale a razão do seu sorriso, após lutar contra tudo aquilo que não se acostuma, nem torna bonito os seus dias.

A vida não é o que se imagina. Não, ela não é um mar de rosas. Em grande parte, a vida ou o que sobra dela, transforma-se num imenso campo de trigo. Todo o nosso movimento existencial cintila nesse ato de ” ir e vir..” – Tudo começa e recomeça novamente, ” início e extremo” se conecta em um curto espaço de tempo. Com tanta confusão, movemos os nossos passos rumo ao que de alguma forma, reforça a nossa fé, coragem e força. A verdade é que se caminha em direção a esperança. É por meio dela que se vislumbra toda beleza da vida, mais do que isso, vimos a manifestação do que nasce das cinzas ” – e após essa sequência, a vida acontece.

” A vida acontece em meio às imperfeições”

A vida ao extremo, acontece em lampejos, reflexos na escuridão – pesados em obscuridade, a falta de razão nos mata, aniquila sonhos. Resta- nos buscar no último ato de fé, a estranha mania de acreditar na vida e no que “permanece intacto”, guardado em nossa memória silenciosa, e ao mesmo tempo, no que faz-nos acreditar em acontecimentos bons, produzidos num silêncio apaziguador que fala ao nosso íntimo.

É através do silêncio que se ouve, se reordena, e iniciamos os nossos capítulos, considerando as nossas construções fragmentadas de calmaria e esperança, buscando nesse fio imaginário, as respostas que trazem melodia a alma, depois de suportar as pancadas e o duro sofrimento a que somos expostos diariamente.

Só assim, a sequência da vida acontece, – e dentro do coração do homem solitário, não basta abstrair-se ou tentar mudar a sua natureza. Mas, concentrar-se em sua imaginação criadora e recobrir-se de fé para atenuar as pegadas de homem descrente. Sim, todo homem culto, inclusive o mais simples, reza. Rezar é sobretudo, exercer uma ação no plano espiritual, é passar à frente os problemas sem alarde. “Você reza! Ah, eu também”. Tem horas que, o que nos salva é o último raciocínio, é o último ato de falar baixinho e selar as palavras com fé. A fé é um ato de confiança humana num plano espiritual, que não comporta a razão, mas acolhe tudo o que nos trás paz.

Marii Freire. O último raciocínio

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ Sarah

Santarém, Pá 24 de novembro de 2022

Marii Freire

A mulher pode escolher viver com quem ela quiser e da forma que desejar. Esse detalhe também não se pode interferir. Agora, quando se fala que a violência contra a mulher é um problema sério, isso não se tem dúvida, porque as estatísticas em relação ao número de mortes de mulheres no país ( feminicídio) só aumenta. Mas, se a própria mulher consegue se adaptar a viver sob condições que envolvem maus tratos, desrespeito e violência, tudo bem, é escolha dela, ninguém tem nada com isso. Em relação a esse detalhe, torno a dizer : o direito é dela”. A lei existe para todos/todas na verdade. Mas só quem é conhecedora de seus direitos e luta por estes é, quem diz que gostaria de ser tratada de uma forma digna. O amor também passa por esse viés. Quem ama, e nos ama de verdade, deseja ter respeito, cuidado e consideração da outra parte.

Pense nisso!..

Marii Freire. Considerações sobre violência contra a mulher/ Via Facebook

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem ( Autoral)

Santarém, Pá 23 de novembro de 2022

Amor Próprio

” O amor próprio passa pela régua da nossa consciência. É justamente esse detalhe que, não nos permite ceder diante de valores inegociaveis. O amor próprio faz com que você não anule! Não se cale,não se deixe amar de qualquer maneira.

Marii Freire. Amor Próprio

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem & criação: Marii Freire

Santarém, Pá 23 de novembro de 2022

%d blogueiros gostam disto: