Da espada à Vela

Camões, nada mais do que Camões para nós deliciarmos da complexidade do amor.

Amor é fogo que arde sem se ver,

é ferida que dói e não se sente

É um contentamento descontente

é dor que desatina sem doer.

É um quer mais que bem querer;

É um andar Solitário entre a gente;

É nunca contentar-se de contente,

É um cuidar que se ganha em se perder

É querer está preso por vontade;

é servir a quem vence , o vencedor

é ter com quem nos mata , lealdade

Mas como causar pode seu favor

Nos corações humanos amizade,

[se tão contrário a si é mesmo o Amor ].

Luís de Camões.

É sem dúvida, uma linguagem apaixonante declamada nessas letras . As cantigas medievais, além de belíssimas, elas têm essa característica própria do amor, do respeito e da lealdade a um sentimento inerente à natureza e condição humana.

Há um confronto, e ao mesmo tempo uma espécie de vassalagem ao ser amado. A entrega que surge a partir de uma intimidade afetiva, como citei logo acima, a postura servil é muito presente nos textos medievais.

Criação: Marii Freire

Literatura brasileira

ATUAL Editora/2013

Recomeçar

Pontes, numa linguagem simples, simboliza esse poder de transformar, de recomeço, ou seja, o novo. Começar do zero. Particularmente, eu gosto muito disso, digo: dessa coisa que faz diferença, aponta caminhos…

Quando nos sentimos criaturas frágeis, vivemos o desconforto das rupturas da hida (que muitas vezes é necessária), para ajustar o passo e seguir. É que descobrimos o quanto é importante vivermos esses desconfortos, melhor: sair desses esconderijos.

Éh!…A vida é sempre uma ordem no imperativo, Vá, faça!! E você tem que prosseguir. Deixar de ser preguiçoso, sim, porque as vezes nos adaptamostanto a uma situação que não queremos sair mais dela. Mas, aí recebemos aquele olhar de desprezo, e somos convidados a sair.

A vida é uma crueza!…nem tudo é construído a nossa favor, pelo contrário, se queremos, devemos ir atrás do que desejamos para só então… conquistar.

Como diz o mineiro de Cordisburgo: ” Coragem!”, não é assim que o Guimarães Rosa fala? Então, temos mais é que arregaçar as mangas e ir a luta.

Sair do lugar que se estava nem sempre é fácil, mas precisamos vez por outra sacudir a vida, por mais que isso, acabe nos trazenfo alguns desconfortos, é preciso viver, enfrentá-los para assim, ter o prazer de ter uma recompensar maior […]

Nada nos é dado de graça!…

Precisamos sair do comodismo que é convidativo, é abraçar com generosidade as oportunidades que a vida nos oferece.

Imagem pública

Texto: Marii Freire Pereira.

Resiliência

O Mario Sergio Cortella tem uma frase muito interessante, diz o seguinte: ‘ estando no fundo do poço, só existe um jeito de você sair dali – parar de cavar”.

Bem, existem outras inúmeros definições que nos ajudar a saber nos colocar diante de situações difíceis.

O que é ser uma pessoa resiliente? É alguem que se dobra, mas nao quebra, e se quebrar…tem a capacidade de se refazer. Reconstruir esse grande mosaico que somos nós.

Saber enfrentar as nossas lutas, crises através de nossas imperfeições é um ‘ dos ‘ grandes desafios humanos.

Tem aqueles que mergulham numa profunda tristeza e não não conseguem sair.

Vivem dentro de suas contradições a modo que, não aprenderam negociar consigo mesmo, com os arranhões, com a pressão, o choque de realidade, e com isso, envergam para si mesmo (…)

Não, é preciso viver para fora. Se refazer, se reconstruir…é uma ordem no imperativo. VÁ!..

Compreender o sentido maior da vida, requer maturidade. Isso é ( também), ser resiliente.

É preciso reconhecer que as dificuldades são desafiadoras, mas que o recuo, nos rouba de nós mesmos. Portanto, esse confronto que vivemos quase que diariamente, e que a maioria das vezes quer nos fazer desistir, tem por obrigação ser olhado do jeito certo, ou seja, com averdade em que precisa ser visto, para que se possa fazer daquele obstáculo um ponto de partida.

…por mais duro que sejam os nossos excessos, temos que aprender a negociar com eles.

Marii Freire Pereira.

Olá!…

A proposta desse blog é agregar conhecimento, bem como, interagir com você, leitor que passa por aqui e deixa a sua opinião. Eu sempre gostei muito de Literatura, e ela acaba nos dando inclusive, essa condição de dividir o conhecimento. Diria que, não só a questão do conhecimento, os sentimentos de maneira mais profunda. Claro, cada leitor tem a sua maneira de recepcionar aquilo que lhe convém conforme a sua sensibilidade. Portanto, fique a vontade. É sempre ter você por perto.

Bem, como disse antes, o meu compromisso é contribuir com você que gosta de ler, sair do senso comum e, adentrar nessa coisa gostosa que causa uma sensação de liberdade, e felizmente essa experiência a gente encontra nos textos literários. É isso, a Literatura nos permite sonhar. Então, deixo aqui, o convite para que você possa de uma maneira adorável visitar alguns dos meus trabalhos. Estes, voltados a parte relacionada a pensamentos, melhor, são reflexões, mas não para por aí, não. Tem- se, o trabalho de uma gama de autores maravilhosos. Por curiosidade, é provável que você encontre textos com uma linguagem diferente, é que muitos foram construídos num período cultural diferente do de hoje, e são belíssimos. Vale muito a leitura.

Depois de tudo que falei, deixo o Meu abraço fraternal!…

Prazer,

Marii Freire.

Beijo grande no coração de todos!

Marii Freire Pereira.

Passear pela a nostalgia das lembranças

Abrace generosamente o que reside nos seus poros.

Deixe-se levar pelo o que atormenta …

A dor.

Pelo silêncio natural das palavras

O que te deixa indefesa

O que deserta…

Vês? A pétala distraída exala poesia.

Tudo é silêncio

Nada cabe

Nenhum gesto do mar

Quem o contrária?

Ninguém.

Nada é maior do que sua força!…

Mar…de ausência

Imagem : https://br. freepik. com

Texto: Marii Freire Pereira

Soneto de devoção

Essa mulher que se arremessa, fria

E lúbrica em meus braços, e nos seios

Me arrebata e me beija e balbucia

Versos, votos de amor e nomes feios.

Essa mulher, flor de melancolia

Que se ri dos meus pálidos receios

A única entre todas a quem dei

Os carinhos que nunca a outra daria.

Essa mulher que a cada amor proclama

A miséria e a grandeza de quem amamos

E guarda a marca dos meus dentes nela.

Essa mulher é um mundo! – uma cadela

Talvez… – mas na moldura de uma cama

Nunca mulher nenhuma foi tão bela!

Vinicius de Moraes .

( Livro de sonetos)

Literatura brasileira

Marii Freire Pereira.

As sem razões do amor

Eu não amo porque te amo.

Não precisa ser amante.

e nem sempre sabes sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça

e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,

é semeado no vento,

na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários

e a regulamentos vários

Eu te amo porque não te amo

bastante ou de mais a mim.

Porque amor não se troca,

não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,

feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,

e da morte vencedor,

Por mais que o matem ( e matam)

A cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

Literatura brasileira

Imagem: Marii Freire.