O homem diante de si mesmo

O homem diante da plenitude, é um ser reverendíssimo ao falar. Olha para o horizonte como se, saboreando o silêncio torna-se um náufrago de sua imaginação. Contente, ele revive o seu passado de lembranças (…) Com o pensamento fecundo, ergue as pupilas, franze a testa e sussurra ao vento – cadê o menino de outrora!?Continuar lendo “O homem diante de si mesmo”