Bernardo soares

” Minha alma é uma orquestra oculta, não sei que instrumentos tange e range, cordas e harpas, timbales e tambores, dentro de mim. Só me conheço como sinfonia…” Bernardo soares. Minha alma é uma orquestra oculta. Livro do Desassossego. (Vol I. reorganização: Teresa Sobral Cunha. Coimbra. Presença, 1990- 128) Marii Freire Pereira VEM comigo !Continuar lendo “Bernardo soares”

Clarice Lispector

Sua preocupação refuzia-se a tomar cuidado na hora perigosa da tarde, aquando a casa estava vazia sem precisar mais dela, o sol alto, cada membro da família distribuído nas suas funções. Olhando os móveis limpos seu coração se apertava um pouco em espanto. (…) Saia então para fazer compras ou levar objetos para consertar, cuidandoContinuar lendo “Clarice Lispector”

Quando saber que é amor?

Quando saber que é amor? Quando perceber que esse sentimento nos trás plenitude, quando ele nos transforma em pessoas melhores, e quando a outra pessoa também é capaz de enxergar a nossa grandeza. A pessoa que nos ama, tem sempre a consciência de nos tratar de uma forma carinhosa. Ela é atenciosa, com as palavras,Continuar lendo “Quando saber que é amor?”

Carlos Drummond de Andrade

[…] Porque amor não se troca, não se conjugar nem se ama. Porque amor é amor a nada, Feliz e forte em si mesmo.” (Carlos Drummond de Andrade. As sem razões do amor. Corpo. Rio de Janeiro: Record. 1984. p. 35- 6) VEM comigo! Marii Freire Pereira Imagem: oncenponatimeawendding.com Santarém, Pá 10 de Julho deContinuar lendo “Carlos Drummond de Andrade”