Violência Doméstica

” A gentileza é um artifício também usado por pessoas manipuladoras perante suas vítimas.”

Marii Freire.

” Ele nunca te bateu, mas feriu os seus direitos de mulher em várias outras instâncias durante todo período da relação que vocês passaram juntos? É violência doméstica!”. A realidade é que a mulher tem que parar com essa coisa de ficar ” romantizando ” relacionamento conturbado, ou seja àquela relação doentia, onde há a presença de (violência doméstica), seguida de abusos e agressões. É muito comum essa realidade praticada por parceiros abusivos. Veja, o termo usado aqui para definir ” parceiros abusivos” pode ser relacionado tanto a homens como mulheres), os dois podem ter a mesma conduta na hora de agredir seus parceiros. Em geral, quem age assim, são pessoas machistas e manipuladoras que usam da vulnerabilidade de suas vítimas para conseguirem o que querem. Quando não fazem o uso da força bruta, elas procuram obter vantagens através de outros meios, para com isso, não só manipular e seduzir, como também ” resgatar” a confiança dessas vítimas para elas novamente.

Por que muitas mulheres não se veem como vítimas?

Acredito fortemente na ingenuidade ou na incapacidade dessas mulheres de dizerem ” não” a pessoas que, mesmo sabendo o quanto elas foram ou ainda são, mentem e as manipulam para obter algum tipo de vantagem. Eles agem exatamente assim por saber que não haverá resistência por parte da vítima, até pela realidade que cerca essas mulheres, dentre as mais comuns são: dependência emocional e financeira, filhos, ou medo da exposição. São inúmeras possibilidafes que existem. Apanhou, ou foi traída, o traidor pela própria falta de caráter, usar da própria conduta duvidosa para ” justificar” e fazer com que essas vítimas aceitem as suas condições. E nesse processo que envolve sofrimento, dor e manipulação, há uma técnica bastante usual, claro – além da argumentação, existe um ” presente ” como forma de ” recompensa pelo dano sofrido” pela vítima. Eu diria que ” um mimo ” para comprar o silêncio e justificar muitas vezes, as suas ações desonestas.

É importante ressaltar que dentro dessa realidade que tange a relações doentias, a pessoa que manipula no caso, o manipular emocional, ele tenta convencer a vítima de que ela estava errada o tempo todo, ao fazer um juízo de valor que não condiz com aquela realidade. Em seguida, duvida da capacidade intelectual da mulher, por compreender que ela no fundo, acredita nele e no que diz, por isso age sempre com naturalidade porque acredita que logra êxito em tudo. Uma cena comovente e bastante comum que acontece diante desses episódios, é esse manipulador tentar mostrar ” arrependimento ” sobre um fato ocorrido. Ele se desculpa, em algumas situações ( lembrando que foi ele que provocou), o resultado daquele sofrimento, mas sem de fato mudar a conduta. Claro, aqui eu peguei uma Imagem que reflete um pouco tudo o que falei sobre manipular e mostrar gentileza. O abusador emocional, tido como “o monstro” da relação, pode dar uma rosa para tentar amenizar o peso do dano, ou quem sabe uma joia! Uma gargantilha em outro, quem sabe, ou um anel, uma pulseira, relógio, perfumes caros, eletromecânicos, carro, casa, apartamento. Há uma lista grade de presentes que dependo do poder aquisitivo dessas pessoas, assim como o sentimento que nutrem por suas vítimas, elas podem se mostrar extremente gentis. Mas compreenda: isso é um jogo pautado em interesses, não é amor. O intuito maior de tudo isso é só ” tentar reparar” uma situação, não com fundo de verdade, como disse ” há sim, interesse” somente em que um abusador se beneficia da fragilidade da vítima.

Há situações reais em que absurdos acontecem. É uma coisa que não ocorre com muita frequência, mas tem constancia nesses fatos que viram rotina na vidade um casal. Outra coisa que se nota bastante em relação a isso é o fato dessas mulheres esperar mudança de comportamento desses homens que abusam muitas vezes do seu senso ético, emocional e moral, em que de fato, haja mudança de conduta. Eles fazem isso, já sabendo que serão perdoados por essas vítimas. Tem mulheres que têm uma vida luxuosa, mesmo que passando por agressões, muitas toleram viver dessa forma, digo: sofrem agressões, mas em seguida, são recompensadas com peças em ouro na maioria dos casos, roupas caras, tratamento estético e outros. Muitas inclusive, vivem cheia de ouro pelo pescoço, braços e dedos. E por que? Porque mesmo infelizes, se dizem ” felizes” e, se sentem recompensadas. Há outras que vivem em casas luxuosas, apartamentos, viajam porque também tem essa forma de tratar do parceiro/ parceira Como dito no início do texto, pode não ter violência física declarada, mas na sua forma sutil, a violência psicológica por exemplo, ou mesmo, a mulher que vive a violência patrimonial, nem sabe, nem presta atenção na realidade a sua volta, vive esse fato. Ora, se uma mulher sofre algo que o marido ou companheiro praticou aqui, e para ” disfarcar” isso, ela ganha um anel aqui, um cordão ali, simplesmente, essa mulher irá viver como se tudo estivesse bem. Mas sabemos que a realidade não é essa. Imagine a mulher que vive ou viveu vinte e dois anos por exemplo, com homem e nunca viu o contracheque do marido, ou se esse homem tem uma conta a mais, tem bens em nome de terceiros sem conhecimento da esposa. Quer dizer, tem todo um arcabouço de expertise por trás dessas condutas. Claro, ” Sorrindo, tem pessoas que enganam muito facil”. O susto mesmo é quando você descobre que viveu anos com um psicopata.

A mulher tem que compreender que quem a ama, não bate. Assim como também, não a maltrata, machuca ou esconde algo dela. Se agiu com deslealdade, a falta de caráter é dele. Um homem não pode ser canalha ao ponto de machucar uma mulher, ainda que psicológicamente e até moralmente falando, e causar-lhe um dano emocional, e outro momento da vida dizer que tem ” consideração ” ou que ” gosta” dela. Essa justificativa é nula. Definitivamente, amor que é amor, não se enquadra dentro desse tipo de realidade. Por isso, mesmo amando, procure ficar mais atenta a realidade que você vive. Constatou algo estranho, questione a respeito daquilo. É dialogando consigo mesma, que você encontra muitas respostas para as esclarecer as dúvidas que precisa.

Marii Freire. Violência Doméstica

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ Catraca Livre

Santarém, Pá 3 de janeiro de 2023

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

%d blogueiros gostam disto: