Consciência

A consciência é uma espécie de pureza da moral. Só ela é capaz de nos deixar interpretar a vida, as situações, os fragmentos extraordinários, e os não ” tão bons” – os que exigem palavras cumpridas de forma justa, luminosa em vários aspectos nesse nosso tentar em “compreender” a vida e as suas muitas questões.

A consciência é prioritária no campo de qualquer reflexão, seja afirmação minha para comigo, ou para com o outro. A lógica da vida é algo que você tece através da consciência. Na verdade, não existe outra maneira de nos tornarmos pessoas éticas, sem levar em consideração a veracidade desse pensamento. É só através desse traço único e indivisível, tomado pela razão que as pessoas se mostram quem são conforme suas atitudes. Eu não posso falar e agir diferente, porque se assim fizer, simplesmente estaria agindo em desconformidade com o meu caráter, com a minha fala, com o meu comportamento diante daquilo que me proponho a fazer perante ao outro, ou aos outros. Fala e ação tem que serem as mesmas diante de qualquer compromisso que que cada pessoa assume. Do contrário, nada do que se faça, tem nexo com a maneira do individuo agir.

Palavras por palavras, não tem efeito, se estas não forem tomadas por atitudes. Se pararmos para observar, grande parte das relações humanas, são dilacerados por aquilo que se fala. Contudo, essa fala, em geral, ocorre de maneira errada. E o que é pior, nem sempre que erra, tem a capacidade para consertar. Por exemplo, se comprometer diante de algo que não se consegue cumprir. Quando há esse atrito, as pessoas se sentem desconfortáveis. E sem uma boa atitude, que é procurar lidar com os problemas de forma clara, elas rompem as suas relações.

A decadência das relações humana, muitas vezes, dar-se pelo incomunicável ou aquilo que se diz, sem fazer um juízo de valor antes – ou na pior hipótese, se fala por muito pensar.  em geral são pessoas, ou grande parte delas, se calam. Calam por conta da dor, da opressão, do medo de falar, medo da frustração ou ainda pelo desejo de não prejudicar o outro. Tudo isso reflete como situações não trabalhadas, torna-se limitadoras, é como se foss algo que nos paralisa. Mas, a medida que, a passa a olhar para os problemas, tirando de lado tudo aquilo que é fantasioso, simplesmente, ela busca a mudança que precisa, ou que precisa agregar na vida dela ou  do outro. É aí que entra o diferencial humano; que é olhar para aquilo que precisa de ” conserto” e através da consciência, ter a atitude que fará a diferença, ou naquilo que se costuma dizer na prática: o ato que trará a mudança que se precisa.

A grande voz humana é a consciência. Ela é o que nos permite fazer a leitura daquilo que se precisa. O peso do que não parece ” correto” nos aproxima. Um exemplo disso é, quando eu estou em dívida com você, digamos que “por algum motivo”, eu volto para procurar estreitar as diferenças que nos distanciam. Geralmente, essa experiência dar-se através de uma conversa dolorosa. Mas que usa até o último grau de autenticidade para ” corrigir ” o que é é necessário. É por isso que mudar é algo que a pessoa deixa para “a última hora”, é porque precisa passar por um processo doloroso mesmo. É definitivamente, adotar uma atitude em nome da mudança que se almeja.

Mudar dói. Toda mudança significa transformação de consciência. Tudo começa por uma percepção interna, ainda que seja uma mudança tardia, ela precisou passar pela experiência do amadurecimento. É por isso que, acertos e erros pesam tanto quando nos tornamos omissos diante da nossa própria responsabilidade. Na verdade, você precisa enfrentar os problemas para aprender a viver melhor com eles. Não se passa a responsabilidade ao outro, quando se tem plena consciência de que parte desta também cabe a mim e z você. Não é dessa forma que as pessoas desenvolvem caráter. A nossa forma de agir é que diz o quanto nós tornamos seres admiráveis ou não.

Permita-se abraçar o inédito. Chegue num consenso entre você e a leitura do seu modo de agir. Um bom resultado é aquele que te torna capaz de conduzir os mesmos passos a serem felizes por dentro, sem a necessidade de atropelar ao externo.

A consciência é um traço de caráter uno. É ela que nós permite agir de maneira correta conosco e com os outros. Uma boa reflexão acerca de si mesmo, é capaz de mostrar o quanto é importante ter esse monólogo interior para não só nos ” tornar” mas “sentir” seres humanos inteiros perante a aquela “pureza” que muito ou pouco se carrega.

Um grande abraço a você!

Marii Freire Pereira

https://Pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: pinterest/ Nino Migineishvile

Santarém, Pá 28 de março de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

7 comentários em “Consciência

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: