Horizonte

Todo ser humano tem problemas. É próprio de cada um saber lidar com as suas demandas emocionais ou profissionais, o que exija muito do nosso compromisso conosco em saber lidar com o que cada situação quer de nós. Muitas vezes por falta de discernimento ou mesmo apoio, pegamos caminhos secundários, justamente por achar que estes levam a algum lugar. Ledo engano! A verdade é que a gente mira, mas nem sempre acerta o alvo. Mas o ser humano é teimoso não é? Sem dúvida. Se tem uma coisa que certas pessoas são é teimosas. Elas querem ir além do próprio limite. É nesse momento que, o desejo de querer ir além do que é permitido, faz com que a maioria perca a razão. E, acredite: nessa tentativa de ir ( sem direção), elas acabam adotando condutas destrutivas – excessos que valida o sofrimento.

Se uma pessoas se julga autoritária, ela age com comportamentos inadequados para provar que sabe mais que as outras pessoas, geralmente ela perde. Claro, quem não se deixa contrariar, paga caro pelas muitas exigências do que a vida pede. Sabe aquela pessoa que, quando você fala, parece que ela tem ima repulsa? Sim, esse tipo de gente, existe em toda parte. Nessas horas é bom lembrar o seguinte: “Toda porta é risonha ao se abrir […], mas ninguém sabe o que há por trás dela”. Você vai porque o ato de ir ao encontro ao desconhecido, aguça a imaginação – parece prazeroso. Mas, é preciso compreender que, mesmo diante dos problemas, o que não nos asfixia, em geral nos deixa exaustos. Órfãos principalmente das pessoas que são importantes pra nós. É, depois da morna distância que se cria entre duas pessoas que brigam por ponto de vista diferentes, tudo acontece de ruim, obviamente.

Um belo dia, por conta de uma atitude estúpida, o que parece fuga para um, se torna claustro. A gente não vive no mundo do ” que se acha melhor” que o outro. Porque entenda uma coisa: aventurar-se na teimosia, é desejar ser guiado pelos caminhos de cegos. Saciado ( a) você ate fica. Mas quando desejar voltar terá que lidar com uma série de sentimentos contraditórios. Por isso preste atenção: “o fascínio às vezes causa náuseas”. Tudo o que é momentâneo é fugaz. O extraordinário da vida costuma ter originalidade. Portanto, se depois de pesar com cuidado aquilo que diz a sua consciência e quiser voltar, saiba que tudo aquilo que perdeu valor por falta de atenção no momento certo, você terá que lidar com as próprias dificuldades. Sofrer com acidentes, dor e tudo mais. É preciso dizer que você vai aprender a ressignificar tudo: o momento grotesco e infalível, chega pra todo mundo. Por isso, nada de lamentações. A vida só é completa quando você reage. Então se permita fazer o que é correto.

Na vida, é permitido se resignar, conciliar perdoar, chorar, sofrer até compreendermos os nossos próprios caminhos. É permitido até pegar desvios (caminhos secundários), sim! Mas também silenciar os nossos excessos, rejeitar os capítulos que já não causam fascínio, e decifrar o que pede a nossa dimensão humana. Por isso, procure ter ” horizontes ” antes de vãs certezas. Na vida, a gente respira, respira, respira e só depois de muito tempo, se aprende.

Marii Freire Pereira. Horizonte

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ pixabay

Santarém, Pá 16 de março de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “Horizonte

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: