Carlos Drummond de Andrade

” Carlos, sossegue, o amor

É isso que você está vendo:

hoje beija, amanhã não se beija

depois da amanhã é domingo

e segunda- feira ninguém sabe

o que será

Inútil você resistir

ou mesmo suicidar-se.

Não se mate, oh não se mate,

reserve-se todo para

as bodas que ninguém sabe

quando virão,

se eque virão…”

Carlos Drummond de Andrade . Não se Mate

Carlos Drummond de Andrade. Literatura Comentda. Editora Nova Cultural. Textos publicados sob licença de Pedro Augusto Graña Drummond. São Paulo, 1990

Marii Freire Pereira

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ Rafaela

Santarém, Pá 14 de março de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “Carlos Drummond de Andrade

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: