Hilda Hilst

” De um exílio passado entre a montanha e a ilha

Vendo o não ser da rocha e a extensão da praia.

De um esperar contínuo de navios e quilhas

Revendo a morte e o nascimento de umas vagas.

De assim tocar as coisas minuciosas e lenta

E nem mesmo na dor chega a compreendê-las.

De saber o cavalo na montanha. E reclusa

Traduzir a dimensão área do seu flanco.

De amar como quem morre o que se fez poeta

E entender tão pouco seu corpo sob a pedra.

E de ter visto um dia uma criança velha

Cantando uma canção, desesperando,

É que não sei de mim. Corpo de terra.

Hilda Hilst. Passeio

https://www.culturagenial.com

Marii Freire Pereira

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/ Toda Matéria

Santarém, Pá 3 de fevereiro de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Hilda Hilst

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: