O amor se alimenta da sua própria condição

O amor é a única força capaz de nos manter conectados com as suas manifestações enobrecedoras. Ele é o vínculo vital da conexão da amizade, companheiro e justiça. Quem ama, respeita, compreende, acolhe e dentro das próprias falhas, se permite, ou diria ” possibilita separar o real do fantasioso”. Ainda que em meio aos desgastes, o amor não se torna escasso; uma vez que, se alimenta de sua própria condição. Portanto, é impossível um indivíduo dá-lo ao outro, aquilo que não tem.

O amor enquanto sentimento e comportamento, parte da compreensão que, eu como criatura, só tenho a possibilidade de dar a alguém, aquilo que transborda em mim. A compreensão sobre essa questão, é que o amor nutre o sentimento de pertencimento (…). Dou porque compreendo que ele é do outro. Então, eu consigo dividir por igual na sua totalidade, fico com uma parte, e a outra, entrego como algo que é do direito da outra pessoa. Essa pessoa por sua vez, se compartilha do mesmo pensamento e sentimento que eu tenho por ela, recebe, reparte e obedece o mesmo processo. Dessa forma, se observa que há uma resposta precisa no amor. A conexão dar-se pelo encaixe perfeito. O amor precisa de autoaceitação, ou seja, o indivíduo precisa ir se dando permissão para devagar, ir aceitando o que é bom e perfeito, assim como também aquilo que precisa corrigir para ser capaz de superar os próprios desafios.

O ser humano tem admiração pela palavra amor, ele sempre procura vê-lo como algo gigante e belo. Porém, sabe que existe, não funciona na prática, se tomado somente pela força de contemplação. Sabe que, além do próprio desejo de tê-lo, é preciso saber administrar a propria vida, bem como, os desígnios. A consciência acerca do amor deve ser maior do que o simples desejo de querê-lo. Ele tem que se esforçar para tornar esse desejo real. Quem ama de verdade, aprende que algumas coisas para darem certo no amor precisa fazer sentido. Do contrário, tudo se torna desconectado. A nobreza do amor vem daquilo que se consegue enxergar verdadeiramente. O amor é luz, não individual, mas que me conduz ao outro.

Marii Freire Pereira. O amor se alimenta da sua própria condição.

https://Pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem: pinterest/Twitter.com

Santarém, Pá 28 de dezembro de 2022

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós- graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “O amor se alimenta da sua própria condição

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: