Viver é extasiante

A vida é gostosa quando sentida com todas as suas dores. É bom sentir, ter sensações reais, nas quais se tem essa capacidade de sentir tudo aquilo que é punitivo, quanto o que torna a vida esse espetáculo extasiante.

Viver não significa contabilizar ganhos psicológicos que nos fazem gozar a liberdade da busca natural pelo prazer. Não! Viver é mais do que isso. Viver também é romper com essa visão ingênua de que tudo só é válido quando trás ganhos. Não é verdade! A perda, a dor também são situações originais diante de nossas verdades. A dor é boa, é profunda, e nos faz sustentar o rojão do nosso ser superior. Não tem gente que estufa o peito pra dizer que é o fodão? pois é, toda essa cascão de proteção, não é nada diante do amargo da vida. O amargo nos torna naturais, evidente, mas também ilumina o que precisamos enxergar por dentro.

” Só se descobre que a vida é prazerosa sem anestesia “

Sim! Quando você naufraga no mar da ilusão, muitas vezes, por conta de suas escolhas, e mesmo sentido a urgência da dor, ou aquilo que ela queira te dizer, balança a cabeça internamente dizendo ” percebi”, ” entendi” e ” senti”. Compreende porque nem tudo é preciso tomar um remedinho para afadtar aquela sensaçãoque incomoda. Quando digo que não se precisa de anestesia, é porque não nos cabe pegar “caminhos secundários ” para se conhecer o paraíso. É bom sermos honestos, vez ou outra consco, é preciso deixar sair juntamente com o choro, o sofrimento, mágoas, a perda das próprias misérias internas. A vida é boa quando lúcida, recheada do que você aprisiona como autêntico. O autêntico não tem meio caminho, meia verdade. Por isso, quando não temos nenhuma forma de driblar as nossas tristezas é bom chorar, ouvir as nossas canções internas, aumentar o volume daquilo que temos como certeza, e descortinar o horizonte. Não há substituição de palavras perante a vida, nem aquilo que é confessado em silêncio ” . A vida nua e crua, sem interpretação é o que nos torna mais humanos. É o momento que, verdadeiramente, se olha do jeito que é, não do que se inventa. As imagens reais, elas nos causam vergonha e é assim que nos percebemos, imperfeitos.

É agradabilíssimo imaginar que, tudo aquilo que se modificar dentro de nós, obviamente deixando o nosso corpo inteiro, o que tem essa função de corrigir, digamos “as nossas ideias desordenadas, de reconstroi, ou concluir os nossos processos” moralmente falando, cada um desses detalhes quando encarados com seriedade, eles nos leva ao clímax de nossas novas possibilidades. Viver é uma coisa maravilhosa, extasiante. Viver é precioso quando encaramos a vida de forma honesta.

Nós, nunca somos sujeitos de meias medidas, somos inteiros. É esse detalhe que nos faz viver atrás dessa procura por si mesmo. Se alterarmos o resultado, se estabelece a confusão e tudo o que ela trás. Por isso, a preciosidade da vida reside em sermos intensos quanto ser humanos, e verdadeiros na alegria, no sofrer e principalmente, no que nos faz ter algum prazer.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/VEM comigo!

Imagem ( Arquivo pessoal)

Santarém, Pa 2 de dezembro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

6 comentários em “Viver é extasiante

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: