Mãe, ensine a sua filha que nenhum buquê de flores, joias ou pedidos de desculpas [ sem mudança de comportamento] justificam uma agressão.

Marii Freire Pereira

Começo escrevendo esse texto dizendo que nada justifica uma agressão.  Portanto, cabe as mães conversar francamente com suas filhas para que desde pequenas, elas possam crescer não aceitando a agressão como uma coisa natural. O intuito maior do meu trabalho, é levar conscientização a mulher nesse aspecto relacionado a violência doméstica. A mulher que é vítima de uma situação de violência, ela precisa poder se defender, e não se acostumar com maus tratos, limitações ou qualquer outro tipo de violência que possa vivenciar durante a sua vida em relação ao casamento, namoro e outros. A mulher é a maior responsável por ela mesma. Portanto, cabe defender a si e as filhas para que estas, não repitam as suas histórias.

A mulher exerce um papel muito forte dentro da relação. Não existe só a obrigação de fazer. Há uma obrigação de exigir também. A equidade é uma coisa muito trabalhada hoje. Embora, a maioria dos homens mostrem uma certa resistência, a mulher precisa ter coragem de assumir o seu papel, e não viver como aquele ser passivo o tempo todo. Diante de qualquer situação, a mulher precisa saber estabelecer limites. Se existe desavenças constantes entre o casal, a mulher precisa tomar uma posição. Do contrário, ela permite que aquele homem a agrida no tempo dele e, volte para resolver qualquer desentendimentos quando ” achar que deve”. É esse detalhe que não pode.

É sabido que muitas mulheres sofrem por causa de maus tratos nos casamentos. A violência é uma realidade que precisa de muita cautela, força e na maioria dos casos, da própria lei. Existem homens que abusam da autoridade, do controle, das artimanhas para lidar com as mulheres. Então, tudo isso são fatores que muitas vezes colaboram para a violência.

Há homens que ao agredirem as suas esposas ou companheiras, elas se afastam no primeiro momento, ou seja, deixam essa mulher numa espécie de autoanálise, na verdade, o que esses homens fazem é uma especie de ” punição ” com as mulheres. O que eles pensam? ” Ah, eu errei, mas “como bom malandro que sou” vou deixar que ela avalie a situação. Passado aquele período, ele a procuram novamente para consertar as suas falhas. Num segundo momento, onde as coisas estão calmas, ele se aproxima com presentes, como flores ou joias para que ela aceite aquele ” pedido de desculpas “. Sim, esse gesto é uma manipulação e também uma forma de ser aceito novamente na vida dela. O problema é: ” Bateu uma vez, vai bater sempre”. A mulher precisa ter coragem já ali, na primeira levantada de braço, levantar o seu mais alto e dizer ” Epa, aqui você não bate mais!”. É muito importante que ela saiba impor limites. Mais ainda, que ensine as suas filhas que elas não aceitem a violência como algo normal.

” Nenhum buquê de flores, joias ou pedidos de desculpas [ sem mudança de comportamento] justificam uma agressão.”

Há relacionamentos abusivos, onde se observa que, o homem que bate, ele é o homem que compra muita coisa boa para dentro de casa, como eletrônicos, TVs, joias e uma infinidade de coisas. Às vezes, a mulher tem muitas joias, dentre elas, cordões, brincos, pulseira, anéis. Você entende? Mas vive sob a violência daquele homem. Ele bate e depois a presenteia com uma bela pulseira- o que não pode acontecer. A mulher precisa enxergar certas manobras cometidas pelo marido, ou companheiro como forma de manipulação.

É sabido que a violência é um ciclo. Primeiro, esse homem bate, depois entra na fase da lua de mel, que é onde vem a atenção, o sexo caprichado, os presentes e tudo mais. Passou aquela fase, o que acontece? Ocorre os abusos. Ele agride muitas vezes a mulher com adjetivos que desqualificam ela na frente dos filhos. A meninas assistindo isso, vão crescendo e observando tudo, o que as deixam numa situação desconfortável, porque vai chegar a hora que ela vão tomar ” as dores da mae”. Ou Chegou uma certa idade, se a mãe não conversa, ela vai querer sair de casa, por não querer assistir aquele episódio que é motivo de muita confusão na cabeça dela. O menino, de duas uma, ou vai se compadecer da mãe, ou quem sabe agir com o mesmo machismo do pai com relação as mulheres ou seja, com a irmã, a mãe, a tia, as as próprias colegas. É uma situação emblemática, mas que precisa da intervenção da mãe.

A violência doméstica ou familiar é muito comprometedora, porque as sequelas são para a vida toda. Se a mulher sustenta uma situação de violência, sem orientar as filhas, ela está direcionando essas crianças a ” acolher” aquela situação. Portanto, é preciso falar, orientar o quanto antes, para que as meninas possam crescer tendo os seus próprios mecanismos de defesas, e aprenda a lidar com as possíveis cenas de violência durante qualquer etapa da vida delas.

A mãe deve ter a preocupação de ensinar essas crianças, seja a menina ou o menino que é preciso haver respeito. E as meninas principalmente, porque dentre outras situações, faz com que elas cresçam mais forte perante a vida e todos os desafiosque tem de enfrentar. Na verdade, não se deseja que nenhuma mulher passe por qualquer situação de violência. Mas, se vier passa, que ela tenha coragem para denunciar.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem ( Autoral) Marii Freire Pereira/ pensamentos.me/ VEM comigo!

Santarém, Pa 25 de outubro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

12 comentários em “Mãe, ensine a sua filha que nenhum buquê de flores, joias ou pedidos de desculpas [ sem mudança de comportamento] justificam uma agressão.

    1. É um belo texto, sem dúvida. A importância das mães ensinarem as suas filhas a lidar com essa situação é necessária. Infelizmente, não evoluímos tanto para que as mulheres não sofram e não vivam na pele a violência doméstica , o que é pior, os filhos assistam tudo isso. Quanto a imagem, obrigada. Ela é uma imagem de aniversário da minha filha. Mas como o texto trás essa ideia íntimo, eu recorri a essa foto, porque queria que os créditos fossem meus sobre ela.
      É um texto que deveria ser compartilhado entre muitas mães, porque serve de alerta sobre esse mal que nos assombra a séculos que é a violência no âmbito do lar, uma verdadeira brutalidade em relação a mulher em nossa sociedade.

      Curtir

      1. Ela estava certa, Filipa. Ninguém melhor do que a mão para falar com autoridade sobre o assunto. Eu converso com as meninas, estou sempre alertando elas sobre assuntos que considero importantes.

        Curtir

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: