O que falta no amor?

“O que falta no amor? O que falta para as relações se tornarem verdadeiras, é o amor.”

Marii Freire Pereira

As pessoas estão se relacionando de um jeito muito rápido, mas sem profundidade. Enquanto que no passado, as famílias acabam sendo construídas por conta de interesses, e todos aqueles predicados que existiam em torno do matrimônio, onde as eram forçadas a viver juntas por conta das escolhas de seus pais. E, depois, veio toda essa ideia do Amor romântico, assegurando principalmente a questão da liberdade, onde as pessoas passam a escolher os seus pares pelo que dita os seus sentimentos, e não mais por conta de ‘compromissos arranjados’, o amor revestiu-se de leveza, porém, os seus dilemas continuam não resolvidos.

Em muitos casos hoje, o amor vem revelando um comportamento infantil das pessoas, ou simplesmente, há uma relação onde eu quero os deleites desse sentimento, sem mergulhar para ir buscar o que existe de valioso no profundo, ou seja, eu quero encontrar uma pessoa onde eu e ela, sejamos capazes de construir uma relação, mas sem esforço. Afinal, o que falta para tornar o amor, assim como a relação duradoura? Falta trabalhar os pilares dessa relação que é o companheirismo, amor, cuidado e respeito.

Por essa razão é que oferecemos a atenção na hora certa, o alento que comporta o abraço, as verdades ditas sem se apegar as queixas. Na verdade, tudo isso é uma forma de criar condições que possibilitem esse sentimento crescer. Em outras palavras, o amor se torna abrigo das coisas boas que encontram sentido na relação entre duas pessoas. O que eu ofereço tem que provocar no outro, algo bom, algo positivo, significativo. Isto é, tem que gerar um valor. Se gera um valor, torna-se precioso pra mim, logo há o interesse de cuidado.

Uma forma de saber se numa relação há profundidade, é observar a maneira de como as pessoas tratam umas as outras. Se há receptividade, o desejo da presença da outra pessoa, e não uma repulsa, isso é uma forma de dizer que naquele relacionamento há comunicação de corpos e sentimentos, o que revela a expressão maior do sentido de felicidade. Se o que encontro no outro é me arremessa em direção a ele ou ela, provocando a sensação de leveza, isso é bom..Mas se há uma queixa incessante, a relação torna-se cansativa.

As conversas do casal também é um termômetro que mostra a saúde dessa relação. Se nessa conversa, há muitos acertos ( mesmo em meio às queixas), e as duas pessoas conseguem modificar o que é preciso para melhorar, se vê aí algo positivo, dado principalmente, pela questão das atitudes, que transformadas em ação procuram fortalecer cada etapa da relação. O mérito, o sucesso é alçado pelo esforço que cada pessoa faz.

Se os casais se unem de forma muito rápido, e com essa característica voltada a superficialidade o que acontece? Certamente, a relação torna-se cansativa, insuportável em meio ao que se contestar. Muitas pessoas se une assim, digo ” sem construir ou mesmo fortalecer os laços faz com haja o encantamento entre almas. O maior problema dos relacionamentos é exatamente essa ausência de profundidade, o que nos primeiros mal-entendidos, essa relação sem profundidade está fadada ao fracasso. Por isso que é importante procurar trabalhar as urgências de casa relação.

Pessoas bem-sucedidas no Amor, elas não contam com o critério “sorte”. Mas, com aquilo que as ajudam aprimorar a relação, que no caso é a questão da consciência, de saber usar a razão. Se eu quero de verdade; se aquela pessoa é importante pra mim, então vou investir em tempo, na qualidade da conversa, fazer coisas que nos aproxime mais, porque tem casais que são distantes. Você nota que muitos casais podem, até dividir o mesmo espaço, porém tem um elemento ali que se torna um divisor de águas que é o silêncio. Esse detalhe na relação faz com que as pessoas priorizem mais as queixas do que o conforto da companhia um do outro, de saber conversar. Mas, dialogar de uma forma saudável, sem comprometer a saúde da relação.

É fácil você conquistar o outro ( desde queira). Para isso, é preciso chegar perto, não no sentido físico, o que é bom, mas, um perto que se permite encaixar, se tornar hospede dos sentimentos dela. Você tem que provocar o inconsciente da pessoa que ama, tem que saber administrar os gatilhos importantes dentro de uma relação para atuar com excelência. A verdade é que ninguém precisa correr atrás, prender ou impor algo para que a outra pessoa fique conosco. Você tem que aprender a tocar aquilo que é acessível nela. Um segundo detalhe importante é não forçar. Se a pessoa é muito inacessível, então ela irá te desencorajar, a fazer isso, digo” fazer que você se afaste”. Todavia, o importante é nunca esquecer amor é uma conquista, por isso é necessário melhorar os argumentos.

Todo relacionamento tem muito essa coisa do cuidado, do carinho, do namoro fora de hora. Sao detalhes pequenos que você deve observar. Assim, você drena o que não acrescenta para se reerguer o que é legítimo no amor. A conquista é um passo conquistado pouco a pouco a cada dia. Se o homem se mostra atencioso, e a mulher por sua vez, receptiva a esse cuidado, lógico que esse casal vai de fato fortalecer as bases dessa relação. O amor nasce através do cuidado, da compaixão, benevolência, de você saber tolerar muitas vezes a outra pessoa, analisar com cuidado ou o que é preciso de maus importanteem determinado momento. Esse detalhe é o que leva ao êxito constante da relação. As pessoas não são felizes por acaso. Ao contrário, há muito trabalho para construir esses laços que que acabam se perpetuando dentro de uma linha tênue de afeto. O amor, antes de mais nada, é a resposta do que eu ofereço a outra pessoa, necessariamente, não é o que espero encontrar. Mais, do que isso, é o que eu consigo inspirar e construir dentro dessa ideia de amor, de forma que a sua resposta, venha acrescenta valor a minha existência. Eu também amo quando me sinto inteiro diante de um sentimento, ou quando amando, sei que sou amado e amada.

Marii Freire Pereira

https://Pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: pinterest/ sençalkapimi

Santarém, Pá 16 de setembro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “O que falta no amor?

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: