Pablo Neruda

SE VUELVE A YO como a uma casa vieja

con clavos y ranuras, es así

que uno mismo cansado de uno mismo,

como de uno traje lleno de agujeros,

trata de andar desnudo porque llueve,

quiere el hombre morjarse em agua pura,

en vento elemental, y no consigue

sino volver al pozo de sí mismo,

a la minúscula preocupación

de si existió, de si supo expresar

o pagar o deber o descubrir,

como si yo fuera tan importante

que tenha que aceptarme o no aceptarme

la tierra com su nombre vegetal,

en su teatro de paredes negras.

Pablo Neruda [SE VUELVE A YO…]. ULTIMOS POEMAS. Tradução de Luiz de Miranda. Porto Alegre, RS: L&PM, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem ( Arquivo pessoal)

Santarém, Pá 21 de Abril de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

10 comentários em “Pablo Neruda

    1. Eu adoro o Neruda. Uma vez, eu estava em Camboriú Santa Catarina, andando para conhecer o local, e vi um edifício com o nome NERUDA. O lugar é lindo, mas pensei que nome maravilhoso. Aonde vou, encontro um pouco das coisas boas que a vida por vezes nos presenta.

      Curtido por 1 pessoa

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: