Pablo Neruda

[…]

Porque é obrigatório

obedecer ao inverno,

deixar crescer o vento

também dentro de ti,

até que cai a neve,

unem-se o hoje e o dia,

o vento e o passado,

cai o frio,

ao fim estamos sozinhos,

por fim nos calaremos.

Obrigado.

Pablo Neruda. Últimos Poemas ( O Mar e os sinos) Tradução de Luiz de Miranda. Coleção L&PMCLASSICOSMODERNOS. Porto Alegre, RS 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem ( Arquivo pessoal)

Santarém, Pá 22 de março de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Pablo Neruda

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: