Acenda o breu

Desistir é uma forma inteligente de não discutir com a vida. Há coisas que de fato, que não é possível o ser humano alcançar. Claro, algumas você consegue ajustar aqui, outras ali e dessa forma, vai calmamente perseguindo o que se deseja. Todavia, existem aquelas que por mais que você queira, sabe que não é pra você. E aí, vem a pergunta mais importante : ” E agora, devo desistir ?” Estamos nós, condenados ao fracasso pelo simples fato de desistir? Condenados, eu diria que não. Eu não gosto dessa palavra” condenação “. Acredito que o ser humano não precisa estacionar na vida por causa de nada. Se ele sabe que é capaz, digo ‘se existem outras formas de perseguir o que deseja’, deve insistir.

Tudo aquilo que se almeja, é necessário ir atrás. Creio que a palavra para definir bem essa colocação é ‘se disponibilizar’, ter disciplina e se permitir, claro. É justamente na vontade que os desejos ganham impulso. Se eu quero muito uma coisa, devo fazer o que? Agir, sair do meu lugar de desejo e traçar uma ação que me faça ser capaz de conquistar aquilo que é importante pra mim. O sonho, os desejos, na verdade, são essa ponte que conduz até o outro lado. “Ah, mas não sei como chegar do outro lado”. Não sei por onde começar, “não tenho forças para ir a …” Deixa dizer uma coisa pra você, assim você não chega a lugar nenhum. Há momentos em que a vida não mostra o caminho, não indica a direção, compreende? É você que deve ir com as suas próprias pernas ” noite a dentro”. Quem quer, persegue. Quem não, inventa desculpas.

Os sonhos, são ” caminhos” que nós vamos construindo a medida que andamos. Cada passo, é um detalhe dessa imensa ” ponte” que atravessamos. Eu gosto muito de usar a forma simbólica da imagem da ponte, para falar da vida, dos problemas e de tudo o que fazemos para chegar do outro lado. Afinal, é ele que nos interessa. A gente tem sempre curiosidade para saber o que nos aguarda do outro lado. Se você acredita que tem algo de valor, e tiver coragem, certamente atravessa. Vai ter momento que ela vai balançar, que você vai sentir que aonde pisa não é seguro, mas logo adiante vai conseguir se firmar bem, é ou não é? Claro. O caminho também é construindo no escuro. Muitas vezes ele faz diante das incertezas.

Deixa eu falar a respeito de um detalhe importante: A escuridão também é caminho, ” O breu” é luz!…e você acaba de acendê-lo. Há coisas na vida da gente que funciona exatamente dessa forma. Não é interessante? ” morrendo e aprendendo ” se descobre que a faísca pode se transformar numa pequena labareda, promovida através de suas atitudes, até que tudo se tranforme num grande clarão.

Não se debruce diante daquilo que te desafia. Se você acredita que vale a pena, lute. Às vezes todas as coisas nos são favoráveis, outras não. Não abra mão da sua felicidade. Se desistir, você irá se sente um fracassado. E acredite: todo fracasso, ele carrega consigo, a idéia de abandono, não do que se abriu mão, mas do abandono de nós mesmos. ‘Toda escuridão é breu’ e todo breu, nós podemos acender. Achou interessante o que eu disse? Caminhe, seja capaz de realizar tudo aquilo que deseja.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 10 de março de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

11 comentários em “Acenda o breu

    1. magicamistura, o breu é uma espécie de resina que sai das árvores. Por fora, opaco. Já por dentro tem uma cor parecido ao caramelo. É usado para fazer várias coisas, mas também se consegue fazer fogo com ele. O ‘ breu’ que falo aqui, é no sentido figurado. Podemos usar a frase: ” estava escuro como breu”. A escuridão nos deixar desnorteados. Todavia, se soubermos usá-la a nosso favor, ainda que tudo seja breu, ‘escuro’…podemos acender a luz!

      Curtido por 1 pessoa

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: