Florbela Espanca

Poisa a tua cabeça dolorida

Tão cheia de quimeras, de ideal

Sobre o refaço branco e material

Da tua doce Irmã compadecida.

Há de contar-me nessa voz tão q’rida

Tua dor infantil e irreal

E eu, pra te consolar, direi o mal

Que à minha alma profunda fez a Vida

E hás de adormecer nos meus joelhos..

E os meus dedos enrugados, velhos,

Hão de fazer-se leves e suaves…

Hão de poisar-se num fervor de crente,

Rosas brancas tombando docemente

Sobre o teu rost, como pena d’aves…

Florbela Espanca. SUAVIDADE

Poesia de Florbela Espanca. Vol.2 Livro de Soror saudade, Charneca em flor, Reliquae (Coleção L&PMPOCKET). Porto Alegre, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: agenda_cultural_porto/ Instagram

Santarém, Pá 6 de março de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Florbela Espanca

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: